Sexta-feira, 26 de Março de 2010

O país das mortes na estrada...

Mais mortos na estrada este ano

Dados até 15 de Março revelam tendência de aumento

2010-03-19

Os dados da sinistralidade rodoviária apurados até à primeira quinzena de Março revelam uma tendência de crescimento face ao mesmo período do ano passado: morreram 151 pessoas, mais 23 do que em 2009.

(…) A par da condução sob o efeito do álcool, o excesso de velocidade e os acidentes dentro das localidades (responsáveis por 47% dos mortos em 2008) são outras das preocupações da ANSR.

 

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1522692

 

A8 - Os riscos da auto-estrada que colocou uma região no mapa Oeste

 

Bela e perigosa, a Auto-estrada 8 recebe nota negativa do Observatório de Segurança de Estradas e Cidades devido a violações de normas de construção, que colocam em perigo os automobilistas.

 

http://jornal.publico.pt/noticia/24-01-2010/os-riscos-da-autoestrada-que-colocou-uma-regiao-no-mapaoeste-18640324.htm

 

 

Bombeiros sem material para resgatar encarcerados

 

Socorro a acidentes na ponte Vasco da Gama pode estar em causa

 

Os Bombeiros de Alcochete estão sem equipamento para desencarcerar vítimas, o que impede o socorro adequado a acidentes que ocorram, por exemplo, no sentido Sul/Norte da Ponte Vasco da Gama…

Sem dinheiro para comprar novo equipamento, os bombeiros temem pela falta de meios para salvar vidas. "Uma viatura de desencarceramento bem equipada ultrapassa os 70 mil euros", estima Ricardo Gonçalves. "Só com cerca de 15 a 20 mil euros conseguimos comprar material para substituir todo o equipamento de corte e para esticar as chapas", avança, por outro lado, o comandante, denunciando que a última viatura oferecida pelo Estado é de 2005.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Set%FAbal&Concelho=Alcochete&Option=Interior&content_id=1515885

Faltam meios para acidentes com químicos

(…) O comandante disse que a maior necessidade da corporação é uma viatura específica de combate à "indústria de risco e química bem como fatos de aproximação química". "Foi um acidente simulado de gasóleo, se fosse outro tipo de matéria química não tínhamos, na hora, capacidade para intervir"… Só Setúbal tem equipamento.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Set%FAbal&Concelho=Barreiro&Option=Interior&content_id=1487839

 

Inspecções automóveis poderão ser menos rigorosas

 

O responsável lembrou que a Dinamarca acabou por desistir do modelo de liberalização do sector devido ao «aumento exagerado» de centros, que levou a que a qualidade do serviço tivesse diminuído «drasticamente».

 

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=165271

 

 

Governo aprova revisão para alterar as bases de concessão das SCUT

 

O Governo aprovou hoje um conjunto de decretos que revê as bases de concessão das auto-estradas sem custos para o utilizador (SCUT)

.

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/10790195.html

 

http://cambiantevelador.blogs.sapo.pt/68207.html

 

O país do alcatrão - Mapa das estradas de Portugal:

Fonte: A NOSSA TERRINHA

 

https://1.bp.blogspot.com/_4EchFNWLMuk/S46qV6B1taI/AAAAAAAAByM/wZjVe8d9KXk/s1600-h/Mapa+rede+vi%C3%A1ria+2.jpg

 

Este impressionante mapa de Portugal Continental está preenchido apenas com uma coisa: estradas. Não todas as estradas. São apenas as estradas pavimentadas. Não tem mais nada. Só estradas pavimentadas. Das auto-estradas às estradas municipais…

Mas este mapa não é actual. Este mapa tem 25 anos: data de 1985. Ou seja, exactamente antes dos fundos comunitários… Nos últimos 25 anos, construíram-se milhares e milhares de quilómetros de auto-estradas, vias rápidas, estradas nacionais, variantes, circulares, estradas regionais, estradas municipais... Podemos, pois, imaginar o mapa de cima actualizado?!...

 

 

Não tomem as estatísticas como verdades absolutas por aquilo que dizem, antes de considerarem aquilo que não dizem.

 William W. Watt

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 12:08
link do post | sujerir | favorito
Quinta-feira, 18 de Março de 2010

Mobilidade Escolar...

 

A pé para a escola
(Walk to School – Portugal)
Gestão da Mobilidade em Comunidades Escolares
 
Nos últimos anos, temos vindo a assistir a uma quebra dramática do modo pedonal no acesso à escola por parte dos alunos.
A tomada e a largada de alunos nas escolas pelos seus pais, cada um no seu automóvel, têm-se tornado num grave problema de gestão da mobilidade, segurança rodoviária e organização do espaço público junto às entradas das escolas.
Para além de contrariarem objectivos de sustentabilidade, estes problemas acarretam ainda consequências nefastas em termos de saúde e desenvolvimento social das crianças.
 
Financeiramente apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, o CESNOVA – Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa, em parceria com a Câmara Municipal de Loures e a Câmara Municipal do Barreiro, iniciou um projecto sobre este importante tema.
 
O projecto visa criar um modelo local de intervenção social, replicável, que permita promover a sensibilização e mudança comportamental da comunidade escolar relativamente às deslocações pendulares casa - escola. Neste contexto, o projecto visa a criação e aplicação de estratégias e medidas para facilitar as deslocações pedonais, num processo de capacitação envolvendo comunidades e instituições locais…
 
http://www.cm-loures.pt/Agenda_mar10_SemAPe.asp
 
The Walker and the City
é o terceiro livro da colecção 'Estudos Pedonais' da ACA-M, que propõe ao leitor uma reflexão colectiva sobre a importância crescente dos direitos dos peões e a necessidade de atender às suas necessidades qualitativas no interior dos sistemas urbanos europeus.
Conta com a colaboração de importantes especialistas internacionais na área dos estudos da pedonalidade, e constitui um contributo português para a Acção 358 COST da Fundação Europeia de Ciência e para as actividades do Walk21 e para o Projecto de Estudo de Fluxos Pedonais do Ministerio de Educación y Ciencia (Univ. Barcelona/ISCTE-IUL/ACA-M).
http://www.aca-m.org/w/index.php5?title=P%C3%A1gina_principal
 
Peão esquecido é o elo mais fraco
 
http://aca-m.org/w/images/5/55/Aymeric-Publico-9Nov08.pdf
 
"Não sou da altura que me vêem, mas sim da altura que os meus olhos podem ver."
Fernando Pessoa

 

 

publicado por cambiantevelador às 22:22
link do post | sujerir | favorito
Domingo, 14 de Março de 2010

Curvas de Morte...

 

 

Filmou acidente no local da morte do filho
(...) "O meu filho de 22 anos encontrou a morte numa manhã muito chuvosa do passado mês de Outubro, quando ia trabalhar e cumpria todas as normas de segurança rodoviária", pode ler-se no segundo parágrafo da carta, a que o jornal "El País" teve acesso.
"Teve de passar na assassina M-607 por um dos oito pontos negros que existem em apenas 31 quilómetros.
 
 
O Governo Regional de Madrid disse, entretanto, que vai eliminar a curva fatídica da M-607, local de três acidentes nos últimos sete dias.
No início do ano, a velocidade máxima permitida na curva baixou de 100 para 80 quilómetros/hora...
 
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1514611
http://www.youtube.com/watch?v=QCyiKIOTZHQ
 
Homem morre em acidente com camião
Ia ao lado do motorista
Um morto e um ferido, foi o resultado de um acidente, ontem, na EN216, em Mogadouro. Na curva da Fonte das Três Bicas, o camião articulado caiu para o lado direito. O ajudante do motorista morreu esmagado. A remoção do veículo demorou mais de dez horas…
http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Bragan%E7a&Concelho=Mogadouro&Option=Interior&content_id=1514266
 
Despiste de carro faz três mortos e um ferido
Eventual excesso de velocidade na origem de violento acidente (…) um veículo, da marca BMW, se despistou, anteontem, por volta das 22.30 horas, na EN356, que liga as freguesias da Azoia à Maceira, no concelho de Leiria. O acidente ocorreu numa subida, após uma ligeira curva à esquerda.
 
http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Leiria&Concelho=Leiria&Option=Interior&content_id=1508221
 
Despiste na A2, junto ao Fogueteiro, provoca um ferido grave
O despiste de um automóvel ligeiro na A2, no sentido sul/norte (…) ao quilómetro 15,6, quando uma viatura ligeira se despistou e embateu contra o pilar do viaduto antes da saída para o Fogueteiro, a cerca de 1,5 metros de altura» (…) O despiste, que acorreu pelas 14:45, obrigou ao corte de tráfego numa das faixas para limpeza e socorro à vítima, com a circulação a efectuar-se, durante esse período de tempo, pela faixa da esquerda.
 
http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=162772
 
"Progresso Estradal"
O progresso do País assenta numa política de construção de estradas e não existem associações cívicas com força para reclamar soluções mais criativas para resolver os problemas de transportes.
 
Só uma cidadania consciente, com entidades públicas actuantes, com visão de progresso e consciência ecológica, se poderá dar o salto, para um futuro promissor em termos de desenvolvimento qualitativo.

Deveria ser elaborado um trabalho multidisciplinar, com orientação social, a partir do conceito do necessário e do indispensável para a utilização de veículos particulares.
 
 
E não, um estilo de vida, que procura impor sobre áreas pluralizadas por contrastes rústicos e urbanos em comunhão, o caos no trânsito e consequentemente, a sinistralidade rodoviária.
 
É demonstrativo e visível, o conceito de "progresso" que estão sujeitos os grandes centros urbanos e capitais do país, em especial, Lisboa e Porto. F.B
 
Perante um obstáculo, a linha mais curta entre
dois pontos pode ser a curva. Bertolt Brecht
 
 
 

 

publicado por cambiantevelador às 01:11
link do post | sujerir | favorito
Quarta-feira, 10 de Março de 2010

Assistência Rodoviária...

Assistência Rodoviária

07-02-2009
(…) Carrinhas para o que der e vier (????)

Basta um pixel. Um pixel fora do lugar nos painéis de mensagens e já os mecânicos da Brisa têm de informar o Centro de Coordenação para que dali alguém o repare. Mas um pixel é o menor dos seus trabalhos. "Mais de 80% das vezes somos os primeiros a chegar ao local dos acidentes, o que significa que encontramos pessoas em grande stress, em situações de agonia", diz Fernando Fernandes, 34 anos, mecânico da Brisa há 11.

"Depois, há quem nos receba como se fossemos um anjo da guarda", acrescenta. Fernando faz, como todos os
340 mecânicos da Brisa espalhados pelo país, rondas de duas em duas horas pela auto-estrada. A maioria dos condutores dirá que nunca vê as carrinhas de assistência passar por si em viagem, mas elas andam lá. "A verificar se há alguma anomalia, a fazer o controlo das vedações - para ver se há alguma chapa danificada -, a garantir que a auto-estrada está limpa", resume o encarregado da Assistência, Pedro Quirino. Sempre que há acidentes que criem mais de duas filas de trânsito ou com feridos graves, Pedro Quirino recebe uma mensagem no telemóvel.

Já não se impressiona facilmente: "Não somos insensíveis mas já trabalhamos muito com essas situações." Em 2008, aconteceram em média 27 acidentes por dia (entre os que só fizeram estragos materiais aos que provocaram feridos e mortos). Nada anormal para uma rede de auto-estradas que tem, por dia, uma média de 22 milhões de quilómetros percorridos. Mas os acidentes acontecem.

E é para "minimizar os seus efeitos" que as carrinhas de assistência servem. Estão equipadas com 20 litros de diesel e 10 de gasolina para garantir que qualquer automóvel chega à área de serviço mais próxima, têm extintores, rádio, GPS, telemóvel e até um terminal de multibanco. Não andam na estrada mais do que um ano.
Fonte:
Semanário Económico
http://www.josedemello.com/gjm_press_05.asp?lang=pt&empresa=1&noticia=8005
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/RelatorioSustentabilidade_2003.pdf
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/Relatorio_de_Sustentabilidade_2004.pdf
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/Sustentabilidade2005.pdf
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/Relatorio_de_Sustentabilidade_2006.pdf
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/Sustentabilidade_2007.pdf
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/Relatorios_
Sustentabilidade/RSustentabilidade2008_PT.pdf
Brisa Assistência Rodoviária
(…) Tendo como vector a  expansão das suas actividades fora da concessão principal da Brisa,
a BAR executa também a prestação de serviços de patrulhamento e de assistência  nas redes da Auto-Estradas do Atlântico, Mafratlântico, Brisal, Auto-estradas do Douro Litoral, Túnel do Marão,  Auto-estradas Baixo Tejo e Auto-estradas Litoral Oeste.
 
http://www.brisa.pt/PresentationLayer/textosdetail.aspx?menuid=221&textoid=2054
Assistência Rodoviária -
- Conta agora com apenas 228 (Técnicos especializados) Oficiais de mecânica,
apesar dos cerca de 1700 quilómetros actuais, geridos pelas concessionárias participadas pela Brisa. 
(ACT - Acordo Colectivo de Trabalho)
  
 
 
Constituição da República Portuguesa
Artigo 18.º
(Força jurídica)
1.            Os preceitos constitucionais respeitantes aos direitos, liberdades e garantias são directamente aplicáveis e vinculam as entidades públicas e privadas.
 
Artigo 21.º
Direito de resistência
 
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.
 
Artigo 58.º
Direito ao trabalho
 
1. Todos têm direito ao trabalho.
2. Para assegurar o direito ao trabalho, incumbe ao Estado promover:
c) A formação cultural e técnica e a valorização profissional dos trabalhadores.
 
Artigo 59.º
Direitos dos trabalhadores
 
 
1. Todos os trabalhadores, sem distinção de idade, sexo, raça, cidadania, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, têm direito:
 
c) A prestação do trabalho em condições de higiene, segurança e saúde;…
 
Viver com Segurança: direito de todos, dever de cada um. F.B
 
publicado por cambiantevelador às 00:21
link do post | sujerir | favorito
Segunda-feira, 8 de Março de 2010

"Concessões" Rodoviárias...

 

Concessão rodoviária do Baixo Tejo
Os Presidentes da Estradas de Portugal, Almerindo Marques, e da empresa que ganhou o concurso, a Brisa, Vasco de Mello, na assinatura do contrato da concessão rodoviária do Baixo Tejo, que abrange os concelhos de Almada, Seixal, Barreiro, Montijo, Moita, Alcochete, Palmela, Setúbal e Sesimbra, melhor
http://www.portugal.gov.pt/pt/Pages/Contacto.aspx
Baixo Tejo
http://www.baixotejo.pt/?utm_source=sapo_local&utm_medium=banner&utm_campaign=baixo+tejo
Douro Litoral
http://www.moptc.pt/tempfiles/20080709203421moptc.pdf
 
Recursos disponíveis ao Patrulhamento
e Assistência da Brisa
 
A rede passou de 455km, em 1993, para 1007km, em 2003 e contava com 1 494 km em 2008 a nível nacional e, passou de 2x2 para 2x3 vias na maior parte da rede.
Durante o ano de 2003 a sub-holding Brisa Serviços foi “reformulada”, passando a ser uma sociedade instrumental que agrupa as empresas de serviços rodoviários.
Entre o período de 2003 a 2008, o número de Oficiais de mecânica da BAR à disposição dos condutores, variou entre:
Os 340 técnicos especializados e  mais de 96 viaturas para os actuais 240 Técnicos especializados (oficiais de mecânica) e 64 Viaturas de assistência.
No programa Novas concessões, adjudicou duas importantes concessões: a Concessão Baixo Tejo, definitiva em Janeiro de 2009, e a Concessão Litoral Oeste, definitiva em Fevereiro de 2009.
Mantendo no entanto, os mesmos 240 Técnicos especializados (Oficiais de mecânica).
Os 17 centros de operação deram lugar aos actuais 12 centros operacionais coordenados com 1 Centro de Coordenação Operacional.
 
Retºs. Sustentabilidade:
http://www.josedemello.com/gjm_press_05.asp?lang=pt&empresa=1&noticia=8005
http://www.brisa.pt/PresentationLayer/textosdetail.aspx?menuid=221&textoid=2054
http://www.brisa.pt/ResourcesUser/Sustentabilidade/Documentos/
RelatoriosSustentabilidade/RSustentabilidade2008_PT.pdf
http://www.ansr.pt/Default.aspx?tabid=95&language=pt-PT#2
Brisa O&M
http://cambiantevelador.blogs.sapo.pt/72945.html
 
 
Contrato de concessão da Brisa- Auto-Estradas de Portugal, S. A
Base XXXVII Assistência aos Utentes
1 - A concessionária é obrigada a assegurar a assistência aos utentes das auto-estradas que constituem o objecto da concessão, nela se incluindo a vigilância das condições de circulação.
2 - A assistência a prestar aos utentes nos termos do número antecedente consiste no auxílio sanitário e mecânico, devendo a concessionária, nos termos da alínea f) do n. 5 da base XXII, instalar para o efeito uma rede de telecomunicações ao longo de todo o traçado das auto-estradas, organizar um serviço destinado a chamar do exterior os meios de socorro sanitário em caso de acidente e a promover a prestação de assistência mecânica.
3 - O serviço referido no número antecedente funcionará nos centros de assistência e manutenção, que a concessionária deve criar, e que compreenderão também as instalações necessárias aos serviços de conservação, exploração e policiamento das auto-estradas.
 
Concessionárias de Auto-estradas.
As despesas com a assistência aos utentes numa concessionária de Auto-estradas tem custos elevadíssimos quando comparados com a receita que geram. Dai que, numa lógica de empresas privadas (cotadas em bolsa), será exigido também, que na assistência aos utentes/clientes, a despesa seja diminuída.
 
Assim, é um sector que põe à prova a gestão dos meios colocados ao seu dispôr. Isto porque, pode pôr em causa a segurança rodoviária (este serviço existe por força dos contratos de concessão) e deixar de garantir níveis de segurança para quem paga (ou não) portagem.
 
No entanto, numa lógica de redução de custos, existirá sobre os Gestores Operacionais (os responsáveis pelos centros operacionais), uma elevada pressão, no sentido de diminuir os encargos, tanto em pessoal como em meios técnicos.
 
 
 
Na óptica de redução de custos neste tipo de empresas (inadequadamente chamada “optimização” dos meios), poderá acarretar sério prejuízo na questão da sinalização, principalmente, no relacionado com a questão da sinalização de acidentes e obstáculos na faixa de rodagem, mas, também, no auxílio em caso de avaria mecânica.
 
Este tipo de prestação de serviços, não se compadece com falta de meios humanos, a não ser que existam outros com igual aptidão.
F.B
 
 
“Não importa o que te fizeram, o que importa é o que fazes com aquilo que te fizeram”.
Jean Paul Sartre

 

 

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 01:28
link do post | sujerir | favorito
Sábado, 6 de Março de 2010

Federação Int. de Peões...

 

Prioridade aos carros leva peões a arriscar
Sem tempo a perder e farta de esperar, a maioria dos peões atravessa os cruzamentos de Santa Catarina com sinal vermelho.
A Federação Internacional de Peões fez um estudo e garante que mesmo na principal rua pedonal do Porto os carros são favorecidos.
 
(…) O belga Geert van Waeg, vice- -presidente da Federação Internacional de Peões (sediada em Bruxelas, Bélgica), testemunhou-o.
Pegou num cronómetro em dois dias de Janeiro (de manhã e ao final da tarde) e chegou à conclusão de que os semáforos em Santa Catarina dão prioridade aos automobilistas.
 
Olhando, em particular, para o cruzamento com a Rua Formosa, verificou que os peões chegam a aguardar 3 minutos e 16 segundos para atravessarem com segurança, enquanto os condutores não ficam parados mais de 34 segundos nos semáforos. Resultado: quem está a pé cansa-se da demora e acaba por correr o risco de cruzar as ruas com o vermelho para peões.
 
Geert van Waeg constatou que essa justificação serviu para parte das pessoas desrespeitar a lei. Outros "ignoraram pura e simplesmente o sinal vermelho e cruzaram a rua, depois de avaliar se poderiam fazê-lo com segurança".
"Ambos os grupos cometeram uma infracção de trânsito", continua, apontando o dedo ao mau funcionamento dos semáforos.
 
A "inadequada" programação dos equipamentos propicia comportamentos de risco. Origina situações claras de falta de segurança, considera o vice-presidente. Os números de Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária do ano passado mostram que a Baixa é um dos locais do distrito com mais atropelamentos mortais.
 
 
Comparação com a Noruega
 
O especialista comparou a realidade portuense à da artéria pedonal Skippergata, em Oslo, na Noruega, e defende a adopção do exemplo norueguês. Nos dois locais, os peões são a maioria dos utentes do cruzamento (78% no Porto e 82% em Oslo).
 
Em Santa Catarina, a espera ultrapassa os três minutos. Em Skippergata, quem anda a pé tem de aguardar 25 segundos. Constatou-se que 77% dos peões noruegueses só atravessaram o cruzamento com sinal verde.
 
No Porto, sucede o inverso: 70% cruzam a rua com vermelho. Curioso é que, em Portugal, esse comportamento é proibido, ao contrário do que acontece na Noruega.
Certo de que o favorecimento do automóvel é "inaceitável" numa via pedonal, Geert van Waeg crê que a atitude dos peões mudará se os tempos de espera diminuírem.
 
http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=1498543
 
Padres de Braga vão ensinar peões a andar na estrada
O pedido chegou do Governo Civil, em carta enviada aos sacerdotes
 23-02-2010  
O Governo Civil de Braga pediu aos párocos da Arquidiocese que sensibilizem os peões «para que caminhem na estrada sempre junto às bermas, no sentido contrário ao dos veículos, de forma a evitar atropelamentos».
«O Governo Civil acredita que os párocos vão ser parceiros privilegiados numa batalha que cabe a todos, e onde se pretende salvar vítimas e reduzir a dor daqueles que são afectados por acidentes rodoviários», afirma o documento.
Em carta enviada aos sacerdotes, o chefe de gabinete do governador civil, José Ferreira Lopes pede-lhes que digam aos peões que, «quando precisarem de atravessar a estrada, o façam sempre com o máximo de cautelas, e se possível só nas passadeiras».
O Governo Civil pede ainda aos condutores, que «reforcem os seus cuidados, particularmente em relação aos idosos e às crianças, de modo a assegurar um maior nível de segurança a todos».
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/padre-estrada-rezar-braga-peoes-tvi24/1141626-4071.html
 
Acidentes: Mais de 4 mil vidas poderiam ser salvas se automóveis tivessem os mais modernos sistemas de segurança
Há 100 anos apareceu o limpa pára-brisas, depois surgiram os piscas, os airbags e os cintos de segurança. Hoje a segurança nas estradas conta com sofisticados sistemas que, se estivessem instalados em todos os carros, salvariam mais de quatro mil vidas anualmente.
As melhores invenções para salvar vidas na estrada são anualmente premiadas no Concurso de Segurança Electrónica, que vai receber um reforço de financiamento da União Europeia.
A Fundação FIA, uma das organizações responsáveis pelo evento, anunciou hoje que a Comissão Europeia vai contribuir com 1,6 milhões de euros para o concurso, que se realiza em Julho no Reino Unido.
 
http://aeiou.expresso.pt/acidentes-mais-de-4-mil-vidas-poderiam-ser-salvas-se-automoveis-tivessem-os-mais-modernos-sistemas-de-seguranca=f567100
 
DN 27/02/10 Acção popular para sinistro de superpolícia
A Associação de Cidadãos Auto- -Mobilizados (ACA-M) receia que o inquérito que o Ministério Público (MP) abriu no sentido de se investigar o acidente de viação que a 27 de Novembro envolveu o secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, seja arquivado. Por isso, reclamou o direito a uma acção popular e vai constituir-se assistente no processo de averiguação criminal.
"Não queremos fazer com que este caso seja exemplar, mas, a pretexto dele, alterar a cultura estabelecida de que detentores de cargos públicos possam ter práticas rodoviárias que são atentatórias para os restantes cidadãos", afirmou ao DN Manuel João Ramos, responsável pela ACA-M.
A PSP arquivou o processo com a justificação de que o acidente se tratou de um crime particular e não público, não existindo também qualquer queixa por parte dos intervenientes.
 A associação diz que está em causa uma infracção rodoviária e que se trata de um crime público. Manuel João Ramos relembra que o Audi A4 onde seguiam Mário Mendes e o intendente Paulo Lucas descia a Avenida da Liberdade a mais de 130 km/hora, e que passou um sinal vermelho e embateu num BMW do presidente da Assembleia da República, Jaime Gama (onde só seguia o motorista).
"A ideia com que ficamos é que agora o MP abre o inquérito para ser fechado, esvaziando-se um bocado o balão com o facto de o caso ser esquecido pela comunicação social", diz Manuel João Ramos. Por isso, reclamam a acção popular, sendo a atitude da ACA-M histórica porque nunca a legislação que regula esta matéria foi alguma vez utilizada para casos deste tipo.
"O nosso objectivo não é responsabilizar, culpar ou denegrir o nome de alguém, até porque o magistrado Mário Mendes foi a vítima mais grave deste acidente. Queremos, é uma mudança cultural", sublinha o responsável.
IONLINE 27/02/10 - ACA-M constituída assistente na investigação do acidente do superpolícia
O processo aberto pelo Ministério Público ao acidente de 27 de Novembro na Av. da Liberdade, que envolveu dois carros oficiais, ganhou um novo assistente.
(…) Esta é a primeira vez que um acidente rodoviário envolvendo dois carros oficiais é investigado pelo Ministério Público. 
+ sobre:
http://cambiantevelador.blogs.sapo.pt/2010/01/25/
 

A melhor forma de nos libertarmos de um problema é resolvê-lo.     (Brenda Francis)

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 00:34
link do post | sujerir | favorito
Quinta-feira, 4 de Março de 2010

IC 32 - TROÇO 4...

 

PROJECTO DE EXECUÇÃO DO IC 32, TROÇO 4 LARANJEIRAS/COINA
LIGAÇÃO COM A 2 – DISTRITO DE SETÚBAL
3.3.2010
"O projecto de execução não terá tido em conta o contributo e o alerta do Município do Barreiro, no sentido de permitir aos cidadãos do Barreiro e que se dirijam para Almada ou Lisboa através do IC21 e CRIPS pudessem transitar para a A2 em direcção Norte a partir daquele ponto de cruzamento, onde seria necessário prever um Nó.
 
 
O mesmo se coloca para os que vêm da Moita, Montijo, Alcochete, etc., e que circulando pelo IC 32 se dirigem também para Almada ou Lisboa."

(...) o projecto de execução não terá tido em conta o contributo e o alerta do Município do Barreiro, no sentido de permitir aos cidadãos do Barreiro e que se dirijam para Almada ou Lisboa através do IC21 e CRIPS pudessem transitar para a A2 em direcção Norte a partir daquele ponto de cruzamento, onde seria necessário prever um Nó.
O mesmo se coloca para os que vêm da Moita, Montijo, Alcochete, etc., e que circulando pelo IC 32 se dirigem também para Almada ou Lisboa.

Com esta opção, qualificada de atropelo aos interesses da população da Península de Setúbal, fica à vista o resultado de tal decisão:
obrigar os automobilistas oriundos do IC21 e do IC32 a apanhar a A2 em Coina e pagar Portagem até ao Fogueteiro. Quem não estiver disposto a pagar portagem para fazer estes poucos quilómetros fica sem outra alternativa que não seja a de sair e circular pela EN10-3 e EN10 para entrar na A2 no Fogueteiro, sobrecarregando assim e ainda mais estas vias.

De referir que este atropelo se soma ao facto de o governo nunca ter aceitado construir um nó na zona próxima a Corroios (entre os nós do Fogueteiro e de Almada), de modo a permitir o acesso/saída na A2 aos milhares de cidadãos que moram em Corroios, Amora, Alto da Paiva, Pinhal dos Frades, Arrentela, Verdizela, etc.
Continuam os automobilistas a ter de sair em Almada ou a sair no Fogueteiro para depois recuar até chegar ao local de residência. Com esta situação, continuam a circular pela Cidade de Almada (e a sobrecarregar o tráfego local) dezenas e dezenas de milhares de veículos provenientes do Seixal e com destino à Margem Norte do Tejo.

http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=23486&mostra=2&seccao=bastidores&titulo=PROJECTO-DE-EXECUCAO-DO-IC-32-TROCO-4-
 
Tomada de posição sobre o Projecto de Execução da CRIPS (IC32) no troço Palhais - Coina
PROJECTO DE EXECUÇÃO DA CRIPS (IC32) NO TROÇO PALHAIS-COINA
Para : Agência Portuguesa de Ambiente
Assunto: IC32-Laranjeiras/Coina : Tomada de Posição da Junta de Freguesia
 
A Junta de Freguesia de Palhais vem por esta via manifestar a sua apreensão pelo facto de o Projecto de Execução deste lanço, aparentemente, não contemplar um nó de interligação entre a CRIPS e a A2 no cruzamento destas duas vias junto ao Pinhal do Couceiro.
 
A confirmar-se esta leitura, esta omissão vai reduzir as acessibilidades do Concelho do Barreiro em geral e em particular vai sobrecarregar esta freguesia de Palhais, pois obrigará a que os automobilistas do Barreiro que se queiram dirigir para Almada e Lisboa não possam utilizar a via IC21 – CRIPS – A2 e tenham de continuar a usar a EN10-3 e EN10 até ao nó do Fogueteiro.
 
Esta situação vai assim agravar o peso do tráfego na EN10-3 que atravessa a nossa freguesia em toda a sua extensão e na direcção Norte – Sul, passando pelo Centro Histórico onde provoca forte insegurança para os seus residentes o que obrigou já à instalação de 6 semáforos em menos de 300 m.
 
http://www.jf-palhais.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=117&Itemid=1
 
"O poder cega, mas quem o possui enxerga o que lhe interessa."  Jaime Leitão
 
 
publicado por cambiantevelador às 01:42
link do post | sujerir | favorito

.Mais sobre mim em breve

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. 406 Mortos nas estradas.....

. Auto-estradas sem Brigada...

. Condução Segura e Ecológi...

. Catástrofe Rodoviária…

. Portagens - CCUT 2014...

. Mais Vítimas na Estrada…

. Fim-de-semana negro...

. Travar a Sinistralidade.....

. Dê Férias à Velocidade…

. Crise Rodoviária em Portu...

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.favorito

. Contrato Promessa

. MOBILIDADE GEOGRÁFICA LAB...

. Cidadania activa: o jorna...

blogs SAPO

.subscrever feeds