Domingo, 30 de Maio de 2010

Sangue no Asfalto...

Caminha: despiste de Porsche faz quatro mortos

 

 Quatro pessoas morreram num acidente de viação na EN-13 em Cristelo, concelho de Caminha.

O acidente registou-se perto das 00:50 e foi resultado de um despiste de uma viatura da marca Porsche 911 - em que seguiam as quatro vítimas, todas do sexo masculino.

 

Os mortos são todos do concelho de Caminha e têm idades entre os 20 e os 40 anos.

A viatura destruiu os rails de protecção e foi embater «violentamente» contra árvores do pinhal do Camarido, «acabando por se partir em dois»…

 

http://diario.iol.pt/sociedade/caminha-porsche-mortos-acidentes-tvi24-ultimas-noticias/1166373-4071.html

 

Caminha: Condutor da viatura que se despistou e fez quatro mortos ter-se-á atrapalhado ao avistar GNR.

 

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11109296.html

 

 

Polícia: Cinquenta e três detidos no sábado por excesso de álcool e 22 por falta de carta de condução

 

Lisboa, 30 Mai. (Lusa) - Cinquenta e três pessoas foram detidas no sábado nas estradas portuguesas por conduzirem com excesso de álcool e mais 22 por conduzirem sem carta de condução, informou hoje a GNR.

A operação, que contabiliza as acções da polícia entre as 00:00 e as 24:00 de sábado, contabilizou 53 condutores com mais de 1,2 gramas de álcool por litro de sangue (já considerado crime) e 22 por não terem habilitação legal para conduzir…

 

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11112118.html

 

http://www.youtube.com/watch?v=k0O7qx-2w-4

 

 

Colisão entre pesado e moto provoca um morto

 

O acidente deu-se no concelho de Torres Vedras.

Segundo a GNR, tratou-se de uma «colisão frontal» entre um motociclo e um veículo pesado de mercadorias.

O motociclista, de 29 anos, teve «morte imediata…

 

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/acidente-moto-pesado-torres-vedras-morto-tvi24--/1167655-4071.html

 

 

Morreu atropelado por um autocarro no Cacém

 

O acidente ocorreu ao início da manhã, no terminal de autocarros do Cacém, pelas 7.54 horas.

Um homem de 44 anos foi atropelado mortalmente, no terminal de autocarros do Cacém , por um pesado de passageiros.

No local, estiveram os Bombeiros Voluntários do Cacém, com dois veículos e seis bombeiros, uma viatura média e a PSP do Cacém.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Sintra&Option=Interior&content_id=1584110

 

Colisão entre automóvel e carrinha mata um homem

 

Acidente ocorreu no IC2 em Redondas e condicionou o trânsito durante duas horas ( ao quilómetro 90 do Itinerário Complementar 2 (IC2), em Redondas, freguesia de Turquel, Alcobaça.

...o acidente provocou a morte a António Pereira, de 55 anos, residente em Algés, no concelho de Oeiras.

A sua viatura seguia no sentido Norte-Sul e embateu violentamente na traseira de uma carrinha de caixa-aberta que transportava pedra.

 

A colisão foi de tal forma violenta que a parte da frente do "Mercedes" onde seguia a vítima mortal ficou debaixo da traseira do pesado de mercadorias. Segundo fonte da GNR a vítima, ao que tudo indica regressava a casa, em Algés, dado que na sua viatura, para além de malas de roupa, foram encontradas caixas de cerejas, ovos, flores e outros produtos alimentares.

 

"É uma zona crítica.

Tem-se dado ali muitos acidentes", disse ao JN António Paulo, comandante interino dos bombeiros da Benedita.

 

O responsável recordou que, em Agosto do ano passado, morreram cinco pessoas num acidente naquela mesma zona.

O local do sinistro é propício a velocidades elevadas, apesar de ter algumas lombas, com visibilidade, e fica no seguimento de uma zona mais lenta, no sentido Norte-Sul.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Leiria&Concelho=Alcoba%E7a&Option=Interior&content_id=1583702

 

Menos vítimas mortais nas estradas Portuguesas (?) …

 

Entre 01 de Janeiro e 31 de Maio, 264 pessoas morreram em acidentes rodoviários, menos 1,8 por cento do que no mesmo período do ano passado, quando foram 269 as vítimas mortais, indica a ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR.

 

Estes números dizem respeito às mortes no local do acidente ou durante o percurso para o hospital.

As pessoas envolvidas em acidentes que morrerem nos hospitais nos 30 dias seguintes também passaram a fazer parte das estatísticas da sinistralidade rodoviária desde 01 de Janeiro, mas a ANSR ainda não publicou esses dados, devendo os primeiros números ser conhecidos em Julho.

 

Segundo a ANSR, foi no distrito de Lisboa que os acidentes provocaram mais mortos (44) nos cinco primeiros meses do ano, seguindo-se Porto (37) e Aveiro (26).

Já os distritos com menos vítimas mortais nas estradas foram Vila Real (03), seguido da Guarda e Portalegre (04).

Por sua vez, os feridos graves diminuíram 8,7 por cento entre Janeiro e Maio face a igual período de 2009.

Este ano ficaram gravemente feridas 920 pessoas, enquanto em 2009 os acidentes provocaram 1008 feridos graves.

Os feridos ligeiros também diminuíram relativamente a 2009, tendo passado de 16 375 para 16 077.

Estes dados não incluem as regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

http://jn.sapo.pt/Pagina

 

Acidentes de viação causaram 17 mortos na semana passada

  

Os acidentes rodoviários em Portugal continental provocaram 17 mortos e 38 feridos graves na semana de 15 a 21 de Maio, segundo dados da Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária (ANSR).

 

Desde o início do ano, os acidentes de viação causaram 247 vítimas mortais, 848 feridos graves e 15.041 feridos ligeiros.

Face a igual período do ano passado, registaram-se menos três óbitos, menos 80 feridos graves e menos 112 feridos ligeiros.

Os distritos de Lisboa, Porto e Aveiro, com 44, 33 e 25 mortes, respectivamente, são os que apresentam maior número de vítimas mortais.

No extremo oposto encontram-se Beja, com duas mortes, e Vila Real, com três.

 

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=13&id_news=452400

 

Segurança rodoviária 264 Mortos nas estradas entre Janeiro e Maio, menos cinco que em 2009

 

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=174583

 

 

Até aqui tudo bem, mas, normalmente, existem discrepâncias no número de mortos registados pelo IML, nos dados da sinistralidade nos sites da PSP e da GNR (confirmar a Actividade Operacional de Trânsito - através dos respectivos sites dessas forças de segurança).

  

"A mudança é inevitável, mas o crescimento pessoal é uma escolha"
Bob Proctor

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 00:30
link do post | sujerir | favorito
Sexta-feira, 28 de Maio de 2010

"Raiva" ao Volante...

Acidentes com Veículos Pesados

 

 Os veículos pesados têm características que tornam a análise de acidentes diferenciada relativamente à análise efectuada para veículos ligeiros, evidenciada pelos elevados danos materiais e corporais que por norma comportam.

 

As características dinâmicas, o peso, a influência da carga, o sistema de travagem, o número de eixos, as dimensões dos veículos e a visibilidade, têm influência significativa quer na forma como ocorrem os acidentes, quer na forma como os mesmos são analisados.

Os acidentes mais comuns envolvendo veículos pesados são os embates de traseira, em cruzamentos, com veículos em sentido contrário e acidentes com mudança de faixa.

Um importante factor a ter em conta, principalmente em acidentes que ocorrem durante a noite é a visibilidade de todo o veículo pesado, pelo que é fundamental perceber os elementos presentes na sua carroçaria que permitam identificar quer as suas dimensões quer a sua velocidade de circulação de forma a entender o comportamento dos restantes veículos envolvidos no acidente.

As elevadas dimensões deste tipo de veículos condicionam também a circulação e é necessário ter presente um croqui à escala, uma vez que a representação dos veículos no local do acidente, bem como as dimensões da via são de extrema importância para a determinação dos parâmetros do mesmo.

 

http://www.carcrash.pt

 

 

Mulher morre atropelada por autocarro em Oeiras

 

Um autocarro atropelou hoje mortalmente uma mulher de 50 anos e feriu gravemente uma criança de 10 anos, em Oeiras, junto ao Centro de Saúde, informou a PSP.

 

Segundo a mesma fonte, a criança foi transportada pelo INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) para o hospital DE Santa Maria, em Lisboa.

O acidente ocorreu cerca das 11:00 e o autocarro, que transportava uma banda de música, pertence à SCOTTURB, empresa que circula em Oeiras e Cascais. No local estiveram uma ambulância dos bombeiros de Oeiras, um carro dos bombeiros do Dafundo, uma viatura da PSP e a rua foi cortada ao trânsito.

 

http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Mulher+morre+etropelada+por+autocarro+em+Oeiras.htm

 

 

 

Manuel Monteiro 120 km/h nas auto-estradas é pouco 

24 de Maio de 2010

PÚBLICO Edição Impressa

 

O aviso é dado à priori, para que não tenhamos ilusões:

"Não sou um apaixonado por carros, nunca fui", antecipa Manuel Monteiro, ex-líder do CDS e fundador do Partido da Nova Democracia (PND).

 

Mas apesar da advertência, falar de carros com Manuel Monteiro não é complicado.

Tem com as quatro rodas aquilo a que podemos chamar uma relação de necessidade:

"Para mim, os carros são um instrumento de trabalho, porque preciso de andar constantemente de um lado para o outro."

E esta é a parte que o político gosta:

a de conduzir em auto-estradas e com o pé direito pesado sobre o acelerador.

 

"O limite de velocidade nas nossas estradas é muito baixo", queixa-se.

A parte que detesta é a de conduzir na cidade.

"Sou muito distraído e tenho tendência para parar muito em cima do carro da frente", diz, ao mesmo tempo que recorda o exame de condução que fez aos 20 anos:

"Chumbei porque não sabia estacionar, o que ainda hoje acontece", admite, sorrindo.

 

O mais importante numa viatura?

"Ser económica e segura é o que me preocupa."

Para ir de encontro às duas características essenciais, a fórmula é "comprar carros em segunda mão ou de serviço", que garantam uma "relação preço-qualidade imbatível".

Manuel Monteiro teve modelos VW Golf, um Alfa Romeo, e tem agora uma carrinha Mercedes C220, "comprada em segunda mão, claro".

 

O primeiro carro, um Nissan Micra, foi marcante porque foi uma prenda do avô.

"Foi especial, porque foi o único oferecido.

E pelo meu avô.

Mas deixei gripar o motor por falta de revisão.

Não tinha dinheiro para a fazer na altura", conta.

 

Um dia, o fundador do PND gostava de ter um Citroën Mehari, o carro que é jipe, que é camião (quem não se lembra da publicidade: "com capota, sem capota, ele é jipe, é camião...").

É esta a resposta que ouvimos quando lhe perguntamos pelo seu carro de sonho.

Mas, falando em veículos marcantes, aqui vai:

"O [VW] "carocha" do meu avô materno, do Minho".

Um carro "duro, mas que ia a todo o lado", recorda, saudoso.

"Tantas viagens fiz naquele banco de trás...".

 

Despiste faz ferido grave em Almada

 

 Um ferido grave resultou de um despiste de um automóvel ligeiro, hoje, domingo, pelas 10 horas, junto da ponte do Pragal, em Almada.

 

Três das quatro vias ficaram interditas durante uma hora.

O despiste provocou ferimentos graves no condutor, que viajava sozinho, e que foi transportado para o hospital Garcia de Horta.

A circulação na zona da ponte do Pragal ficou normalizada às 11 horas.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Set%FAbal&Concelho=Almada&Option=Interior&content_id=1576648

 

 

"Fiquei a tremer. Liguei ao meu pai e pedi-lhe que avisasse alguém"

 

Ao final da tarde de ontem, ainda tremiam as pernas à professora Isabel Teixeira, 33 anos, por causa do susto que apanhou, ontem de manhã, quando seguia na A42 em direcção à escola C+S de Cristelo, Paredes, onde lecciona.

 

Habituada a circular na auto-estrada diariamente, e por vezes, apressada, não tem memória de tamanho arrepio: deu de caras com o ex-guarda prisional, que lhe surgiu de frente, em contramão.

"Estava a chover e eu vinha na faixa esquerda.

Ao passar entre a saída de Freamunde e Sobrosa reparei que na faixa contrária circulavam carros com quatro piscas ligados.

De repente, ultrapassei uma carrinha de trabalhadores e dou de frente com o condutor.

Como não havia trânsito e tinha espaço ultrapassei a carrinha e coloquei-me na direita.

Foi um impulso.

Mas pouco depois vi uma senhora que se tinha despistado", recordou.

"Fiquei a tremer. Liguei ao meu pai e pedi-lhe que avisasse alguém.

Só penso nas vezes que faço esta estrada, às vezes com velocidade e com mais trânsito. Se fosse num desses dias, não tinha por onde fugir", acrescentou.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Pa%E7os%20de%20Ferreira&Option=Interior&content_id=1578462

 

 

'Road rage' Raiva ao volante: carros são armas contra a frustração

 

O que leva um condutor a insultar e até a agredir?

 

Psicólogos concluíram que, quando algo corre mal na vida do condutor, ele descarrega no volante e... nos outros.

 

A imagem de um Pateta amável e bondoso que ao volante do seu carro se torna odiável e intolerante foi criada pelo Walt Disney em 1932, mas a sua mensagem é bem actual.

 

Gestos ofensivos, insultos e manobras perigosas são apenas alguns dos sinais a que os americanos apelidaram de road rage e que,

em Portugal, começam a ser alvo de preocupação.

A "raiva ao volante" já descambou em agressões e até em homicídios.

 

Mas o que leva um condutor a transformar-se ao volante?

Para Manuel João Ramos, presidente da Associação de Cidadãos Auto-mobilizados, aquela imagem do Pateta serve de exemplo.

"O carro funciona como uma arma.

Lá dentro as pessoas sentem-se protegidas para extravasar o que quiserem", refere ao DN.

 

O "anonimato" do condutor dentro do seu carro fortalece-o e descontrola-o, conclui também José Brites, que, com Américo Baptista, da Faculdade de Psicologia da Universidade Lusófona, se debruçou sobre o tema da agressividade ao volante.

 

Entrevistados 480 condutores (270 dos quais já sofreram acidentes), dos 19 aos 68 anos, as conclusões resumem-se a duas ideias:

as mulheres transportam para o volante a sua instabilidade emocional, ao passo que os homens procuram sensações.

Eles procuram adrenalina; nelas, a condução agressiva reflecte as suas emoções", explica José Brites ao DN.

Não são as (boas ou más) características do carro, segundo explica, que tornam o condutor agressivo.

Numa outra vertente do estudo concluiu-se ainda que aos 18 anos há maior agressividade.

Facto curioso é que o mesmo se conclui na faixa etária dos 39 aos 45.

Explicação:

"Todos estes condutores têm funções laborais de grande responsabilidade" e passam esse stress para o volante do carro que conduzem, explica.

Quando instados, nenhum dos condutores "se assume agressivo".

Uma conclusão similar à que chegou a enfermeira Maria Martins, que encontrou um "baixo sentimento de autoculpabilização" nos 19 entrevistados que colaboraram para a sua tese.

 

Eu "Nunca tive um comportamento de risco mas já andei na auto-estrada a 290 km/ /hora", Maria João concluiu que a maior parte dos condutores "faz um juízo de valor muito severo, mas em relação aos outros".

Mesmo quando foram eles os culpados formais (pelo tribunal ou seguradora) dos acidentes, há sempre uma forma de tentarem escapar ao sentimento de culpa com uma qualquer explicação.

A agressividade ao volante pode levar a insultos, agressões e, no limite, a homicídios.

A própria polícia tem sentido essa violência na pele.

"Há muitas agressões a polícias que acorrem a acidentes.

Temos feito questão de levar todos esses casos a tribunal para que os condutores aprendam", referiu ao DN o comandante da Polícia Municipal de Lisboa, subintendente André Gomes.

 

Para José Brites, "se estiver irritado, não conduza". E há segredos para relaxar: música e não fazer do volante uma almofada em que se descarregam frustrações.

Pode ser meio caminho para não insultar o condutor da frente, que circula lentamente... apenas porque procura um lugar para estacionar.

 

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1576373

 

Ofensa à integridade física lidera

 

 No ano passado, as autoridades registaram 41 272 crimes rodoviários - uma média de 113 por dia -, o que significa menos 1802 dos registados no ano anterior.

Destes crimes, destacam-se 621 crimes de homicídio por negligência (menos dez que em 2008), 358 por condução perigosa e 2013 por ofensa à integridade física por negligência (quando no ano anterior havia registo de 1555 crimes desta natureza).

 

Casos

Quando a violência sai da viatura

Homicídio Gonçalo Cardoso foi condenado em Abril a 12 anos de cadeia pelo homicídio do filho do ex-jogador do Benfica, Nelinho.

Os disparos foram feitos numas bombas em Benfica depois de os dois condutores se terem desentendido no trânsito.

 

Ataque cardíaco

Um homem de 60 anos morreu no início do mês por se ter envolvido numa discussão de trânsito, na zona do parque de estacionamento do Centro Comercial Fonte Nova, em Lisboa.

Os nervos e um historial de problemas cardíacos terão terão estado na origem da morte súbita.

 

Facadas

Um homem morreu em Oliveira de Barreiros, Viseu, depois de se ter desentendido com outro, quando circulavam nos seus automóveis, em Novembro de 2007. Durante uma ultrapassagem, um dos carros partiu o espelho retrovisor do outro carro.

Os condutores envolveram-se numa discussão que terminou à facada.

 

Fuga a operação

Um homem foi baleado, em Julho de 2008, na cabeça pela GNR depois de tentar atropelar dois militares numa tentativa de fuga a uma operação stop em Gondomar.

Na viatura em fuga seguiam dois ocupantes que desrespeitaram a operação de fiscalização da GNR.

 

 

 

Para mim, a verdade da segurança rodoviária é uma estrada com enormes buracos, à espera de serem tapados, com uma enorme dose de BOM SENSO!

 

 

publicado por cambiantevelador às 23:56
link do post | sujerir | favorito
Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Brisa automatiza portagens...

Identificador nos automóveis vai ser obrigatório a partir de 1 de Julho

http://www.publico.pt/Sociedade/identificador-nos-automoveis-vai-ser-obrigatorio-a-partir-de-1-de-julho_1439517

 

 

Brisa automatiza portagens

 

 A partir do próximo mês de Junho a Brisa começa a substituir os portageiros manuais por sistemas automáticos de controlo de acesso às suas auto-estradas.

 

O processo estende-se aos 1.600 quilómetros de estradas da empresa portuguesa, de forma gradual, explica o Jornal de Negócios citando fonte oficial da empresa, e chegará a todas as portagens.

Actualmente, asseguram o funcionamento das portagens 1.280 trabalhadores, que serão alvo de um programa de rescisões amigáveis e terão apoio da empresa na procura de um novo trabalho ou ao nível da formação.

 

A introdução de portagens automáticas é um projecto que a Brisa começou a implementar em 2008.

O primeiro local a testar as máquinas que aceitam notas, moedas e cartões de débito foi a A17.

Neste troço de auto-estrada estão já instaladas 24 máquinas de pagamento automático.

Na A15 também já arrancou a instalação de 14 máquinas que funcionarão como alternativa ao sistema tradicional de pagamento de portagens.

 

http://tek.sapo.pt/noticias/telecomunicacoes/brisa_automatiza_portagens_1067317.html

 

 

“Substituição de trabalhadores por máquinas”

 

Introduzir máquinas de cobrança de portagens” na rede Brisa.

 

As máquinas são instaladas em todas as barreiras de portagem, e nas de baixo tráfego;

Início de funcionamento a partir de Setembro, com instalação total até ao final de 2010;

Vias com maior incidência de introdução de máquinas – A2 CO de Grândola e Almodôvar;

A3 e A4 -com possibilidade de integração no SCP da Maia – posto de controlo das máquinas com 50 operadores);

A6 - todas as barreiras excepto Elvas e Évora;

A13 - alguns portageiros poderão ter como alternativa a A1; A9 e A10 - alguns portageiros poderão ter como alternativa a A5;

Consequências desta implementação:

Redução no número de trabalhadores efectivos a consumar-se até Setembro de 2010;

Trabalhadores com contrato a termo certo – não renovação dos contratos;

Trabalhadores de empresas de trabalho temporário – passarão a ser utilizados apenas em picos e férias;

Organização do tempo de trabalho – possibilidade de alteração do número de turnos ou, em alguns casos, passagem a fixos;

Indemnização de 2 meses de salário base mais diuturnidades por cada ano de antiguidade, com valor mínimo de 35 mil euros para trabalhadores a tempo completo;

Para trabalhadores com horário parcial será calculado o respectivo valor proporcional.

 

Auto-estradas Scut.

 

Novos identificadores da Via Verde podem dar portagens de borla

 

A solução está a ser discutida entre governo e concessionárias.

Para incentivar a compra de equipamentos, o custo é deduzido em portagens

 

É já daqui a pouco mais de um mês, a um de Julho, que começam a ser cobradas portagens em três Scut (auto-estradas sem custos para o utilizador):

Costa da Prata, Grande Porto e Norte Litoral.

 

Mas por entre os protestos que amanhã voltam à rua há muitas questões por responder.

Quanto vão custar as novas portagens?

Que troços vão ser cobrados e onde haverá isenção?

Como vão ser pagas?

Para a terceira pergunta há três respostas possíveis e é quase certo que as três modalidades de pagamento previstas na lei vão avançar em simultâneo e em complementaridade.

 

Já foi afirmado várias vezes que a cobrança será feita por meios electrónicos.

Com o atraso na matrícula electrónica, o famoso chip, já é certo que a Via Verde será o instrumento privilegiado para a cobrança.

 

O problema é que esta solução, explorada por uma empresa controlada pela Brisa, só chegou a cerca de metade da frota automóvel.

 

No ano passado existiam cerca de 2,5 milhões de dispositivos da Via Verde, que foram responsáveis por mais de 60% das transacções em auto- -estrada, percentagem que sobe para 70% nas zonas urbanas.

É um grau de cobertura relevante, mas insuficiente, já que nas Scut não há portagens físicas.

Uma das soluções que estão a ser estudadas ao nível das concessionárias e do governo passa por incentivar a curto prazo a compra, em grande escala, de mais identificadores de Via Verde.

 

E uma das fórmulas que estão em cima da mesa para democratizar a Via Verde é a oferta da dedução em portagens do valor equivalente ao custo do identificador, ou pelo menos de uma parte.

No entanto, será necessário definir quem vai assumir este custo:

se o Estado, se as concessionárias ou ambos.

 

O ministério das Obras Públicas não fez comentários.

O preço de mercado de um identificador é de 30 euros, o que a multiplicar pelo número de automóveis sem Via Verde daria cerca de 75 milhões de euros.

Este valor é, por si, superior ao da montagem do sistema de cobrança electrónica nas Scut.

Mas a Via Verde já fez campanhas de promoção no passado em que vendeu o dispositivo a 20 euros, e é provável que o sistema nunca chegue a cobrir todo o parque automóvel.

 

Cobrança custa 54 milhões

A instalação do sistema de cobrança electrónica com os pórticos de leitura ao longo da rede destas três Scut representou um investimento de 54 milhões de euros, segundo números do ministério das Obras Públicas ao Parlamento.

O custo é assumido pelas concessionárias, mas será deduzido na conta com o Estado ao longo da concessão.

 

O governo espera que a cobrança nestas Scut gere uma receita de 120 a 140 milhões de euros por ano.

Contudo, em 2010 o encaixe deverá ser menos de metade.

Ainda assim, serão necessários sistemas de pagamento alternativos e complementares, sobretudo numa fase de transição.

 

Nesse sentido deverá avançar um sistema de cartões pré-pagos que, mediante carregamento prévio, permite o pagamento de um determinado tecto de portagens.

Esta solução deverá também ser adoptada por condutores estrangeiros que utilizem as auto-estradas sem portagens físicas.

 

Paralelamente, será utilizado o pós-pagamento que vai recorrer ao photo-tolling, utilizado em alguns países e até em Portugal para processar infracções ao pagamento de portagens.

Neste sistema a matrícula é fotografada e a conta é mandada para a morada do titular do registo do automóvel.

A principal solução, no entanto, será sempre a Via Verde, que permite o pagamento por contrato ao abrigo de uma conta bancária.

 

Esta alternativa ganhou força com o atraso na instalação do sistema de matrícula electrónica, cujas especificações técnicas deveriam ter sido definidas em portaria.

 

A decisão do governo de avançar com a cobrança a 1 de Julho foi também um estímulo para acelerar as negociações entre as concessionárias de auto-estradas em regime Scut para a entrada no capital da empresa que gere o sistema.

 

A Via Verde é detida em 75% pela Brisa e em 25% pela SIBS (Sociedade Interbancária de Serviços).

 

https://mail.google.com/mail/?hl=pt-PT&shva=1#inbox/128bdffc45e6d581

 

 

Brisa estuda antena para cobrança eletrónica de portagens

 

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1557009

 

 

Desemprego

Decreto-Lei n.º 15/2010 de 9 de Março

Decreto-Lei n.º 68/2009 , de 30 de Março

Assim:

No desenvolvimento do regime jurídico estabelecido pela Lei n.º 4/2007 , de 16 de Janeiro, e nos termos das alíneas a) e c) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo 1.º

Objecto O presente decreto-lei estabelece, por um período de seis meses, a atribuição do subsídio social de desemprego inicial ou subsequente ao subsídio de desemprego que cesse no decurso do ano de 2010.

Artigo 2.º

Alteração ao Decreto-Lei n.º 68/2009 , de 20 de Março

O artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 68/2009 , de 20 de Março, passa a ter a seguinte redacção.

«Artigo 2.º [...]

1 - É prorrogada, por um período de seis meses, a atribuição do subsídio social de desemprego inicial ou subsequente ao subsídio de desemprego que cesse no decurso do ano de 2010, sem prejuízo do disposto no número seguinte.

2 - A prorrogação prevista no número anterior não se aplica às situações de prorrogação da atribuição do subsídio social de desemprego inicial ou subsequente ao subsídio de desemprego ocorridas durante o ano de 2009.

 

http://pt.legislacao.org/primeira-serie/decreto-lei-n-o-15-2010-desemprego-social-subsidio-atribuicao-184530

 

A presente lei estabelece um regime transitório e excepcional de apoio aos desempregados com filhos a cargo e procede à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 220/2006, de 3 de Novembro.

 

http://pt.legislacao.org/primeira-serie/lei-n-o-5-2010-presente-desemprego-subsidio-vigor-184877

 

 

Desempregados já podem pedir subsídio fora do prazo de 90 dias

 

O Ministério do Trabalho garante que já alterou a regra referente ao subsídio do desemprego que o Tribunal Constitucional (TC) chumbou.

 

Em acórdão publicado em Diário da República, os juízes do TC decidiram que a Segurança Social não pode negar o acesso ao subsídio de desemprego a quem pediu as prestações já depois do prazo legal de 90 dias.

E este já é o segundo acórdão neste sentido.

 

No entanto, o Ministério do Trabalho garantiu ao Económico que já resolveu esta questão, ao alterar o regime do subsídio de desemprego em Março de 2009.

Ainda assim, a alteração já chega quase dois anos depois da primeira decisão do TC.

Se a norma em causa ainda não tivesse sido alterada e se o Tribunal Constitucional decidisse no mesmo sentido, em três casos, seria mesmo necessário mudar o decreto-lei em causa.

 

O acórdão publicado hoje surge na sequência de uma sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela, em 2008, depois de ter recebido uma queixa de uma desempregada a quem foi vedado (em 2007) o acesso ao subsídio de desemprego, por ter pedido a prestação depois do prazo legal de 90 dias.

 

O TC fundamenta a sua decisão com o acórdão anterior, que diz respeito a um decreto-lei de 1999 (o diploma que estava então em vigor) e também utiliza a mesma redacção na decisão de inconstitucionalidade.

Isto porque tanto a lei de 1999 como a de 2006 prevêem a mesma norma - antes da alteração realizada já no ano passado.

 

No primeiro caso, a desempregada alegou motivo de doença e apresentou atestado médico mas "não cumpriu o ónus" de provocar a confirmação "de tal incapacidade" pelo sistema de verificação instituído, avança o acórdão.

O TC voltou hoje a pôr em causa a "proporcionalidade" da norma, já que o desempregado deixa de ter acesso a qualquer prestação de desemprego e não só às que caducam pelo atraso do pedido.

Os juízes do TC avançam, no acórdão de hoje, que esta norma viola o princípio daproporcionalidade e acrescentam ainda que "é de todo desrazoável fulminar com a perda definitiva e irreversível do direito ao subsídio de desemprego, por todo o tempo (futuro) em que o trabalhador a ele teria direito (que se pode prolongar por anos), por qualquer atraso na formulação inicial do pedido".

 

Mas o ministério de Helena André garante que actualmente a situação já não se coloca.

Ainda assim, a nova redacção do decreto-lei pode deixar dúvidas, dando eventualmente a entender que os desempregados podem pedir as prestações depois dos 90 dias e receber o resto do subsídio a que têm direito apenas no caso da prestação social (para beneficiários de baixos rendimentos) ou parcial.

 

O Económico sabe que são poucos os desempregados que apresentam o requerimento fora do prazo geral de 90 dias e que, normalmente, estão em causa trabalhadores com salários em atraso ou a desempenhar funções no estrangeiro (e que, por isso, demoram mais tempo a conseguir o modelo internacional de requerimento).

Ainda assim, é nos primeiros três dias dos meses que os centros de emprego registam um maior afluxo de pedidos, que chegam a superior em 50% a média de inscrições.

 

http://economico.sapo.pt/noticias/desempregados-ja-podem-pedir-subsidio-fora-do-prazo-de-90-dias_86162.html

 

 

 

A Razão da História.

 

Segundo a antiga razão da posse, quem tem mais, mais terá, quem tem menos, menos terá, respeitando-se assim as diferenças gentílicas e patrimoniais por que Deus criou este mundo!

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 23:44
link do post | sujerir | favorito
Sábado, 22 de Maio de 2010

Encontro de veículos eléctricos...

1º encontro de veículos eléctricos em Portugal

 

O encontro teve lugar no dia 22 de Fevereiro, pelas 15h00, no Parque das Nações em Lisboa, e reuniu um grupo de amigos e utilizadores do Fórum NovaEnergia, uma associação ambiental com um fórum de discussão online.

 

No encontro foi possível ficar a conhecer os diferentes tipos de veículos eléctricos que já existem e que é possível utilizar, desde veículos de 2 rodas a carros utilitários.

 

Aqueles que são já utilizadores assíduos destes veículos quiseram assim demonstrar as vantagens de possuir um veículo eléctrico, que vão desde uma condução mais limpa e silenciosa até aos baixos custos de operação e à redução da dependência dos combustíveis fósseis.

 

Além disso, os veículos eléctricos garantem ainda uma condução agradável uma elevada capacidade de aceleração.

Se se quiser juntar ao próximo encontro, previsto para o mês de Julho, fique atento ao site da associação

 

http://novaenergia.pt/

 

http://www.eco.edp.pt/pt/particulares/conhecer/veiculos-electricos/veiculos-electricos/1-encontro-de-veiculos-electricos-em-portugal

 

 

 

"O futuro é comprado pelo presente."

 (Samuel Johnson)

 

 

publicado por cambiantevelador às 01:39
link do post | sujerir | favorito
Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

GNR e PSP com "blue flu"...

Através do Despacho n.º 8287/2010,

 

o MAI criou um grupo de trabalho para análise das Áreas de responsabilidade da GNR e PSD.

 

http://dre.pt/pdf2sdip/2010/05/095000000/2630726307.pdf

 

 

GNR Viaturas do Trânsito usadas para rondas.

 

“Considero isto, um erro e acredito que atitudes destas só contribuem para o aumento da sinistralidade e sentimento de impunidade que se vive nas estradas e para a desmotivação dos guardas” Disse Zé Alho, presidente da ASPIG.

 

http://www.brigadatransito.com/noticias-brigada-de-transito-f29/gnr-viaturas-de-transito-usadas-para-rondas-t4412.htm#42884

 

 

O fim da Brigada de Trânsito (BT) da GNR foi um erro crasso

 

Contra o fim da BT, apontando ao governo o maior erro politico cometido, estão pessoas com elevado grau de sensibilidade para o combate à sinistralidade rodoviária, como é de salientar

o Sr. Dr. Manuel João Ramos (presidente da Associação de Cidadãos Auto-mobilizados),

o Dr. Carlos Barbosa (presidente do Automóvel Clube de Portugal e vice-presidente da Federação Internacional do Automóvel – FIA),

e um grande número de Governadores civis dos vários distritos do país.

 

A ASPIG está “convicta” que a extinção da BT tem “contribuído, em muito, para o aumento da sinistralidade e sentimento de impunidade que se vive nas estradas bem como para a desmotivação de muitos profissionais da Guarda que, em consequência desses erros, têm visto os seus direitos adquiridos esquartejados”.

 

http://www.radiopax.com/noticias.php?d=noticias&id=9096&c=1

 

http://www.youtube.com/watch?v=6mZ1N032vwo&feature=player_embedded

 

 

Exigida reactivação da BT-GNR

 

http://forumgnr.virtuaboard.com/noticias-f68/exigida-reactivacao-da-bt-gnr-t18238.htm

 

 

GNR quer abandonar Brigada de Trânsito

 

Tal como fazia a BT, também agora os militares são distribuídos para patrulhas um pouco por todo o País.

Quase sempre para fiscalização rodoviária numa política da GNR de evitar que esse mesmo trabalho seja realizado por militares locais de forma a impedir as relações de confiança com os residentes das localidades.

 

http://www.inverbis.net/opc/gnr-abandonar-brigada-transito.html

 

 

GNR e PSP patrulham em conjunto.

 

http://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1001457

 

 

Quadro da GNR aumenta o número de oficiais e diminui guardas.

 

Na PSP, agentes e chefes esperam há cinco anos por promoções, mas 206 oficiais estão a ser graduados e aumentados.

Há mal-estar na PSP e na GNR.

 

"Na GNR cerca de 25 por cento do total da verba orçamentada para o pessoal é gasta com os 22 comandos e os generais", diz a Associação dos Profissionais da Guarda (APG).

...Os polícias portugueses admitem poder vir a sofrer do que nos Estados Unidos se chama "gripe azul", uma "doença" que deixa em casa os que usam uma farda dessa cor.

 

http://www.publico.pt/Sociedade/psp-gradua-oficiais-e-esquece-os-agentes-na-gnr-um-quarto-da-verba-vai-para-64-oficiais_1438022

 

 

PSP obrigada a readmitir empregada de limpeza despedida

 

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1571624

 

 

Dos carros do Estado aos mandantes do crime rodoviário

 

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Opiniao/Interior.aspx?content_id=168353

 

 

Camião esmaga carro da Guarda

 

http://www.24horasnewspaper.com/mostranews.php?l=8984

 

 

 

"Fala quanto estás zangado e terás pronunciado o melhor dos discursos que lamentarás."

Ambrose Bierce

 

 

 

 Sagitário

publicado por cambiantevelador às 00:44
link do post | sujerir | favorito
Quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Cidadania e Segurança Rodoviária...

A GARE promove o Seminário Educação para a Cidadania e Segurança Rodoviária, dia 21 de Maio, no Auditório da DREAlentejo.

 

GARE - Associação para a Promoção de uma Cultura de Segurança Rodoviária Carruagem

Jardim da Pérgula - Horta das Figueiras 7005-500 Évora PORTUGAL

 

Tel e fax: +351 266 785 498 Móvel: +351 961 411 746 geral@gare.pt

url: www.gare.pt http://www.gare-apcsr.pt/

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 00:38
link do post | sujerir | favorito
Domingo, 16 de Maio de 2010

Vítimas de “Car Hacking”...

NOVO IDENTIFICADOR AVISA CONDUTORES DE ACIDENTES E CHAMA SOCORROS

 

Projecto pioneiro no mundo

Os protótipos já foram construídos e os primeiros ensaios vão ser realizados no fim do ano, num projecto da Brisa e de investigadores académicos.

Ser avisado – através do identificador com que se passa na Via Verde – de um acidente que aconteceu mais à frente, ou de uma travagem brusca de um veículo ou de um corte de estrada, vai ser uma realidade para os condutores portugueses…

 

Publicado no 1.º Caderno da edição do Expresso de 27 de Setembro de 2007

http://aeiou.expresso.pt/novo-identificador-avisa-condutores-de-acidentes-e-chama-socorros=f411892

 

 

Carros vão falar uns com os outros para evitar trânsito e acidentes.

 

O projecto Drive-IN vai custar um milhão de euros.

Este ano começa a ser testado em 500 táxis na cidade do Porto.

 

Dentro de um ano, os carros que tiverem um navegador GPS da NDrive vão poder comunicar uns com os outros.

Vão saber onde estão as filas de trânsito e quais são as melhores alternativas.

Sem pagar um cêntimo nem accionar qualquer serviço.

 

A tecnologia revolucionária que a NDrive vai utilizar será gratuita e universal.

(Desenvolvido com base no protocolo 802.11 p - nova geração de Wi-Fi, que conhecemos pelo acesso à internet sem fios).

 

http://www.ionline.pt/conteudo/52914-carros-vao-falar-uns-com-os-outros-evitar-transito-e-acidentes

 

 

GM desenvolve sistema para ajudar condutor

 

A General Motors está a preparar uma tecnologia que vai ajudar um condutor a ver a estrada e os sinais de trânsito com maior visibilidade.

O sistema usa sensores na dianteira do carro e através de raios ultra violeta, os dados são transmitidos no próprio vidro do veículo.

A nova tecnologia está a ser desenvolvida em conjunto com várias universidades dos EUA.

 

http://tvnet.sapo.pt/noticias/video_detalhes.php?id=55838

 

 

Ajuda ao estacionamento.

 

A Bosch tem uma nova versão do novo Parkpilot, "sistema electrónico que facilita as manobras de estacionamento, garantindo segurança perante pessoas e obstáculos não visíveis, evitando-se danos e colisões".

 

O sistema funciona por ultra-sons, com detecção de objectos até 1,5 metros.

 

http://news.automotor.xl.pt/?s=12&n=29385&nivel=3

 

 

Controlador electrónico para o Ford Focus

 

 A Ford vai introduzir um novo controlador electrónico no seu Focus, que permitirá que os pais de jovens motoristas, possam limitar a velocidade máxima do carro a 129 km / h, e o sistema de áudio a menos de metade volume.

 

http://www.ford.com/about-ford/news-announcements/press-releases/press-releases-detail/pr-ford-focus-named-a-top-campus-car-30895

 

 

Toyota pode enfrentar centenas de processos nos EUA

 

 As falhas técnicas em veículos do construtor poderão ter provocado 34 mortos nos EUA.

 

A marca nipónica terá ainda de explicar às autoridades do país quando é que se apercebeu destes problemas.

A Toyota pode ter de enfrentar centenas de processos nos EUA, após o construtor japonês ter admitido problemas mecânicos em alguns modelos, falhas técnicas que poderão mesmo ter estado na origem de acidentes que provocaram 34 mortos.

 

Com o aumento das queixas, responsáveis da marca nipónica foram chamados para prestar explicações sobre esta situação, isto depois de a Toyota ter detectado em vários veículos problemas no acelerador ou no eixo de transmissão das carrinhas pickup.

As autoridades norte-americanas consideraram normal o aumento das queixas após o anúncio dos problemas com veículos deste construtor, cujos proprietários estão mesmo já a pedir indemnizações, mesmo que não tenham tido qualquer acidente.

 

Estes proprietários queixam-se da desvalorização dos seus veículos após terem sido revelados estes problemas técnicos, uma situação que poderá custar milhões de dólares à Toyota, que pediu a recolha de oito milhões de veículos, a maior dos quais nos EUA.

Na próxima semana, responsáveis da Toyota tem uma audiência marcada em Washington para explicar desde quando é que sabiam destas falhas técnicas e como reagiram perante o problema.

 

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1496345

 

 

Ford recolhe carros por problemas nos bancos

 

Os problemas parecem não ter fim na indústria automóvel.

Agora foi a Ford que anunciou a recolha de 33 256 carros matriculados este ano nos EUA, devido a problemas com os bancos.

Os modelos em causa são o Ford Fusion, Explorer Sport Trac, o Mercury Milan e o Mercury Mountaineer.

 

Estes veículos estão equipados com assentos dianteiros com sistema de abaixamento manual, que não respeitam as normas de segurança:

"Num acidente, o banco e o apoio de cabeça podem recuar, aumentando o risco de ferimentos", explicam as autoridades.

 

http://dn.sapo.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1552675&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%253A+DN-Economia+(DN+-+Economia)

 

 

Toyota vai recolher carros com defeito em Portugal

 

A Toyota Caetano vai proceder, em Portugal, à recolha dos modelos com problemas no pedal do acelerador.

 

Fonte oficial da empresa disse à Agência Financeira que a marca vai avançar, à semelhança da Europa, com uma campanha de serviço «correctiva». Peugeot e Citroën recolhem 600 veículos

Presidente da Toyota pede desculpa

«A empresa em Portugal aguarda informações da Toyota Europa para saber qual o número dos chassis envolvidos em Portugal.

 

A campanha no nosso país vai arrancar muito em breve.

Vamos contactar directamente os clientes e chamar à oficina viaturas para serem analisadas, para que depois possam ser submetidas a medidas correctivas», avançou a mesma fonte à AF.

 

A Toyota acredita que, neste momento, o número de veículos envolvidos com este problema possa chegar chegar aos 1,8 milhões em toda a Europa.

Em causa estão falhas técnicas consideradas «perigosas», já que o pedal do acelerador pode prender e provocar uma aceleração involuntária.

Uma situação que já levou a marca a suspender a venda e ordenar a recolha de, pelo menos, oito modelos nos Estados Unidos.

 

Os modelos com defeito, na Europa, são o Toyota AYGO, o iQ , o Yaris, o Auris, o Corolla, o Verso, o Avensis e e RAV4.

Peugeot Citroën vai rever acelerador de 107 e C1

 

Depois da Toyota ter chamado para revisão 1,8 milhões de carros na Europa e perto de 6 milhões nos Estados Unidos, agora é a vez da francesa Peugeot-Citroën proceder à «recolha preventiva» de cerca de 100 mil veículos a circular na Europa.

 

Em causa estão modelos Peugeot 107 e Citroën C1, produzidos numa fábrica da República Checa que funciona em parceria com a Toyota.

De acordo com um comunicado enviado à redacção da Agência Financeira vão ser recolhidos 97 mil proprietários dos compactos 107, da Peugeot, e C1, da Citroën, fabricados entre 2005 e meados de 2009, que representam 10% dos C1 e 107 veículos em circulação na Europa.

 

Estes dois modelos partilham peças com o compacto Aygo, da Toyota.

Uma delas é «problemático» pedal do acelerador.

Os clientes visados serão alertados por correio «dentro em breve».

 

Em Portugal, o grupo PSA vai recolher 600 veículos.

Recorde-se que a gigante japonesa Toyota anunciou que quer voltar aos lucros, no terceiro trimestre do ano fiscal 2009-2010, e elevou as previsões financeiras anuais, apesar da crise por falhas técnicas.

 

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/empresas/toyota-toyota-caetano-peugeot-portugal-acelerador-citroen/1135807-1728.html

 

 

A Toyota Só nos Estados Unidos, a marca já recolheu pelo menos 5,3 milhões de veículos devido a um problema que está relacionado com uma falha que condiciona o regresso à posição inicial do acelerador, avança a CNN.

 

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/toyota-carros-automovel-japao/1134951-4058.html

 

 

Fiat recolhe 500 mil veículos por «possível anomalia»

 

A Fiat decidiu recolher 500 mil veículos dos modelos Grande Punto e Grande Piunto Abarth em toda a Europa devido a uma «possível anomalia» na direcção, indicou esta sexta-feira o gabinete de comunicação do grupo italiano.

 

Em causa estão 500 mil veículos, sendo que metade se encontram em Itália e a outra metade no resto da Europa, segundo a empresa.

A construtora italiana quer verificar os veículos vendidos na Europa admitindo que possa existir uma anomalia na coluna de direcção do veículo.

Os proprietários dos veículos vão receber uma carta pedindo para que levem os automóveis aos serviços de assistência do grupo para serem inspeccionados.

 

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1439093&tag=Fiat

 

 

Automóvel Honda recolhe mais de 437 mil carros com defeito no airbag

 

A fabricante japonesa anunciou ontem que vai fazer 'recall' de 473 mil automóveis em todo o mundo, para arranjar ‘airbags’ que correm o risco de explodir.

"Quando o 'airbag' se insufla em caso de acidente, existe a possibilidade de que o aumento brutal da pressão interna provoque uma ruptura do seu invólucro, causando uma dispersão de fragmentos, com risco de ferimentos para os ocupantes do veículo", explica a Honda em comunicado.

 

Os modelos afectados por este problema são o Accord, Civic, TL, CR-V e Odyssey nos Estados Unidos e no Canadá, os Pilot e CL nos Estados Unidos e os Inspire, Saber e Lagreat no Japão.

Na nota, a Honda dá conta ainda que já tinha feito ‘recall' de 514 mil automóveis entre Novembro e Julho do ano passado que também tinham defeitos no 'airbag'.

Também ontem a Toyota , a maior fabricante automóvel do mundo, fez saber que vai recolher 437 mil carros híbridos em todo o mundo, de modo a resolver problemas com sistema de travagem ABS.

 

http://economico.sapo.pt/noticias/honda-recolhe-mais-de-437-mil-carros-com-defeito-no-airbag_81253.html

 

 

Honda recolhe veículos com defeito pela segunda vez

 

Alguns automóveis apresentam falha no sistema de travagem

A Honda chamou pela segunda vez, em menos de dois meses, veículos à revisão.

 

Agora, são 412 mil os automóveis com defeitos no travão, informa o site espanhol «Invertia».

O recall foi decidido depois de a marca ter recebido queixas dos condutores, a propósito do mau funcionamento dos travões dos veículos.

Os automóveis dos modelos Odyssy e Element, nos EUA são os alvos desta convocação.

 

A falha detectada está assim no sistema que controla o travão em cada uma das rodas, o VSA (Vehicle Stability Assist), problema que pode originar a desestabilização dos carros numa situação de travagem.

 

A Honda já tinha procedido a idêntica solicitação no mês passado, quando recolheu quase 438 mil veículos.

Dessa vez, os automóveis acusaram problemas nos airbags.

O risco de explosão e de projecção de fragmentos de metal motivaram o primeiro recall.

Entre os países atingidos estavam os EUA, Canadá e Japão.

 

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/empresas/honda-odissey-element-automoveis-recall/1147768-1728.html

 

 

Controlador eletrônico para o Ford Focus

 

A Ford vai introduzir um novo controlador eletrônico no seu Focus, que permitirá que os pais de jovens motoristas, possam limitar a velocidade máxima do carro a 129 km / h, e o sistema de áudio a menos de metade volume.

 

http://autos.canada.com/news/story.html?id=1011260

 

 

Hacker inutiliza mais de 100 automóveis remotamente

 

As tecnologias são uma parte integrante da nossa vida.

São um meio para auxiliar e tornar o nosso dia-a-dia mais fácil.

 

Podem, nalguns casos, proporcionar alguns episódios insólitos e tornarem-se na mãe de todas as dores de cabeça.

Exemplo disso são as recentes vítimas de “Car Hacking”.

Tudo aconteceu em Austin no Estado do Texas – EUA, quando alguns condutores deram com as suas viatura a buzinar de uma forma infernal ou a não conseguirem usar a ignição.

 

Esta “proeza” foi supostamente causada, por Omar Ramos Lopez um mecânico de 20 anos.

Ao que parece foi uma atitude muito à americana, Lopez tinha sido despedido, devido a um corte dos recursos humanos, um mês antes dos acontecimentos.

 

Como não ficou satisfeito com a decisão decidiu retaliar no stand que o despediu, utilizando um software Web based denominado Webtech Plus, adquirido há pouco tempo pela empresa.

Este software serve para persuadir os seus clientes a continuarem a pagar as prestações dos veículos adquiridos ao stand de automóveis, induzindo alguns comportamentos anormais nos seus automóveis ou mesmo recuperar o controlo dos seus automóveis em situações extremas de falta de pagamento.

 

Basicamente o stand poderia com este software desactivar remotamente o sistema de ignição, colocar em modo intermitente a buzina, tudo de modo a lembrar as obrigações financeiras, sem nunca imobilizar o automóvel em movimento.

 

Tudo isto é conseguido através de uma caixa negra, instalada nos veículos, que com base em ondas wireless sincronizavam em vários pontos de acesso e cujo controlo estava concentrado num único site centralizado (Webtech Plus).

Ao que parece a conta no sistema de Lopez tinha sido desactivada pouco depois de ser despedido, mas alegadamente este conseguiu entrar na conta de outro colega, fazer uma pesquisa por clientes, até descobrir que podia descarregar a base de dados de mais de 1100 registos de clientes que possuíam automóveis equipados com este sistema.

 

A partir daí foi uma questão de começar a varrer a ficha desses clientes, vandalizar dados e aproveitar para inutilizar alguns veículos bem como activar algumas buzinas.

Lopez foi detido pela polícia onde aguarda agora julgamento.

É um dos casos mais flagrantes, dos malefícios da tecnologia quando usada de forma indevida.

Poderemos até nos questionar se este tipo de sistemas não só ao nível ético, mas também se de alguma forma não se apresentam à margem da legalidade.

 

Mas certamente podemos concluir que é um exemplo de uma tecnologia demasiado sensível para ser usada por um stand de automóveis.

http://www.wired.com/threatlevel/2010/03/hacker-bricks-cars/

 

 

 

"O problema não é se as máquinas pensam, mas se os homens fazem."
B.F. Skinner

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 19:33
link do post | sujerir | favorito
Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Auto-estradas sem berma(s)...

Estado de direito

Morrer na estrada

por PAULO PEREIRA DE ALMEIDA

 

Em Portugal continua a morrer-se na estrada.

Apesar disso, a Estratégia de Segurança Rodoviária é ainda - e infelizmente - um parente pobre na Segurança Interna.

Normalmente é apresentada em último lugar quando se pensa em políticas públicas de segurança.

 

Foi o que aconteceu justamente na apresentação da Estratégia Nacional do Ministério da Administração Interna.

Se aponto este facto como um possível indicador para que se deva - em benefício de todos os cidadãos - atribuir uma maior relevância a estas matérias no futuro, isto não significa que o actual Governo pouco tenha feito neste domínio.

 

Até pelo contrário, o Governo tem estimulado o debate de alto nível e uma acção mais visível da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

 

Vejamos dois exemplos.

Um primeiro exemplo pode ser dado ao nível da adopção da Carta Europeia de Segurança Rodoviária (CESR), lançada em 2004 em Bruxelas.

A CESR considera que o número actual de vítimas de acidentes de viação na Europa se encontra a um nível inaceitável, donde decore a importância de tomar as medidas mais eficazes para reduzir este número no mais curto prazo possível.

 

Considerando que é indispensável uma acção coordenada entre as muitas partes que têm uma responsabilidade neste domínio, e entendendo que existem medidas eficazes para incentivar os utilizadores da estrada a aplicarem as regras de segurança, na CESR subscreve-se o objectivo de uma redução de, pelo menos, 50% das mortes no horizonte de 2010.

 

Um compromisso de cidadania, portanto.

Um segundo exemplo decorre da necessidade, assumida pela própria União Europeia, de estudar de forma fundamentada as medidas de redução da condução sob o efeito do álcool.

 

Na verdade, há mais de 40 mil mortos nas estradas europeias cada ano, número muito superior às mortes por acidentes aéreos!

Além disso, há três milhões de pessoas feridas todos os anos na União Europeia em acidentes rodoviários.

 

Ora considerando que, no caso de Portugal, 2% dos condutores fiscalizados com taxas de alcoolemia superiores aos limites legais correspondem a 25% das mortes na estrada, percebe-se a necessidade - assumida pela ANSR - de intervenção sobre estes grupos de risco.

Mas também aqui, e apesar de tudo o que já foi sendo feito, existirá uma necessidade de aumentar a proactividade das Forças de Segurança.

Se é verdade que foram feitos cerca de 800 mil testes a condutores para despistar a eventual condução sob o efeito do álcool, a verdade é que ainda estamos longe do valor de 1 200 000 recomendado pela União Europeia.

 

Uma questão a trabalhar com atenção, portanto.

Depois, e se seria desejável - como inicialmente disse - que a Segurança Rodoviária deixasse de ser encarada - a par da Protecção Civil - como uma área de menor investimento na Segurança Interna, é também uma realidade que se espera uma vontade política mais séria na introdução de novas tecnologias neste domínio.

Estou a pensar, muito concretamente, numa rede nacional de radares nas estradas e em mecanismos tecnológicos inibidores da condução sob o efeito de álcool.

Medidas acompanhadas - é claro - de meios humanos adequados à fiscalização e à imposição de sanções.

E em benefício - obviamente - das vidas humanas que assim serão poupadas

 

http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1569591&seccao=Paulo%20Almeida&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco

 

 

Auto-estradas sem critério

Por: António Sérgio Azenha

 

Portugal é um dos seis países da União Europeia com mais auto-estradas por habitante:

em 27 Estados-membros, Portugal tem cerca de 24 km por cem mil habitantes, quase tanto quanto a Espanha e mais do que Alemanha, Suécia, Dinamarca, Itália, França e Inglaterra, as economias ricas da UE.

 

O pior é que em nove das 25 auto-estradas portuguesas circulam em média, por dia, menos de dez mil carros, um dos critérios internacionais para justificar uma auto-estrada.

 

Mesmo assim, com os projectos rodoviários em curso e os quatro a serem lançados até Junho de 2010, a rede irá aumentar 860 quilómetros.

E entre Lisboa e Porto surgirá uma terceira ligação deste tipo.

O relatório da Comissão Europeia sobre o sector da energia e transportes na UE, datado de 2009 e referente a 2006, revela que Portugal, em 27 Estados-membros, é o quinto com mais auto-estradas por cem mil habitantes.

 

Com 2545 km de auto-estrada em 2006, Portugal tinha uma rede maior do que Bélgica (1763), Suécia (1740), Dinamarca (1032), Áustria (1678), Grécia (1056) e Irlanda (270).

Os dados do Instituto de Infra-estruturas Rodoviárias (INIR) sobre o tráfego nas auto-estradas no primeiro trimestre deste ano, de Julho passado, indicam que o movimento médio diário de viaturas é inferior a dez mil carros em nove auto-estradas:

quatro no Sul (A6, A13, A15 e A10), três no Norte (A7, A24 e A27) e duas no Centro (A14 e A23).

E no Norte há mais uma, a A11, que em dois dos três primeiros meses deste ano registou um tráfego médio diário inferior a dez mil carros.

 

Apesar de estes dados indiciarem que Portugal estará saturado de auto-estradas, o Governo lançou dez novos empreendimentos rodoviários com uma extensão de 2360 km, dos quais metade é estrada nova e 29 por cento corresponde a auto-estrada.

 

Já esta semana, foi anunciada a intenção de avançar com mais quatro novas concessões até Junho de 2010.

O Executivo justifica esta prioridade política com o “reforço da segurança rodoviária” e a “promoção da coesão territorial”.

 

Os críticos desta opção contrapõem que Portugal já tem auto-estradas suficientes e que é necessário apostar em soluções com menores exigências de construção e de traçado.

 

MODERNIZAÇÃO DE ESCOLAS ATÉ 2015

A par dos projectos em grandes obras públicas, o Governo tem em curso um plano para a modernização de 332 escolas secundárias, com um investimento de 940 milhões de euros, até 2015. Para o Ensino Básico está previsto um investimento de 175 milhões de euros em 50 estabelecimentos. DISCURSOS DIRECTOS “MAL DE PORTUGAL SE NÃO ENCAIXAR MAIS DÍVIDA'

Luís Nazaré, ex-presidente dos CTT

 

- Correio da Manhã – Na actual crise alguma das obras públicas deve ser suspensa?

- Luís Nazaré – Em relação aos novos troços de auto-estradas não me pronuncio porque não tenho informações técnicas minimamente habilitadas para o fazer. Quanto ao TGV e ao novo aeroporto, são ambos igualmente estratégicos e prioritários, e não devem ser objecto de mais análises ou reanálises. É uma perda de tempo.

 

– O que é melhor para animar a economia: grandes investimentos ou obras mais pequenas?

– Ambos são importantes, mas aquilo que é sustentável e tem efeito no tempo são os grandes investimentos. As pequenas obras mexem pouco e o efeito de alavanca na economia é muito pequeno.

 

– Os críticos alegam que as PME beneficiam pouco com as grandes obras públicas.

– É completamente falso. Os líderes dos projectos são as grandes empresas, mas a execução é feita por milhares de PME. É assim em Portugal e em todo o Mundo.

 

– Portugal aguenta a dívida gerada por esses projectos?

– Absolutamente. Mal de Portugal se não tiver capacidade de encaixar este investimento público, na medida em que isso vai alavancar a economia e gerar milhares de empregos estáveis no futuro.

 

“É PRECISO TER JUÍZO COM O ENDIVIDAMENTO PÚBLICO”

 Mira Amaral ex-Ministro da Indústria

 

- Correio da Manhã – O próximo Governo deve suspender algum dos grandes projectos de investimento público?

- Mira Amaral – Neste momento não se justifica mais auto-estradas, e deve apostar-se na melhoria das acessibilidades às grandes cidades. O TGV, em termos de distância, faz sentido a linha Lisboa-Madrid; se irá ter passageiros para ser rentável é outro assunto. Entre Lisboa e Porto, o TGV não faz sentido e devia apostar-se na alta velocidade. O novo aeroporto de Lisboa deve ser construído por fases, porque não se consegue prever o tráfego aéreo nos próximos anos.

 

– A retoma da economia será mais fácil com grandes ou pequenos investimentos

– Os grandes projectos não vão resolver os problemas da economia e do desemprego. A curto prazo, as obras pequenas dinamizam a economia local e o emprego. A longo prazo, é preciso avaliar se os grandes projectos têm rentabilidade positiva, porque se não endividámo-nos sem tirar dividendo.

 

– O País tem condições para suportar esse endividamento?

– O mais elementar bom senso diria para não se fazer tudo ao mesmo tempo. Caminhamos mais depressa para dificuldades no défice público e no financiamento da dívida pública. É preciso ter juízo.

 

PORMENORES ALAVANCAR A ECONOMIA

O investimento público é considerado fundamental para fomentar a actividade económica em alturas de crise, quando os privados recusam investir.

COESÃO TERRITORIAL

As auto-estradas são apontadas como um elemento fundamental para obter maior coesão territorial e atrair ao Interior pessoas e empresas. LIGAR O PAÍS À EUROPA O TGV,

através da linha Lisboa-Madrid, permitirá ligar Portugal ao centro da Europa. A Comissão Europeia considera prioritário o TGV em Portugal.

ALTO ENDIVIDAMENTO

O endividamento excessivo com grandes obras públicas pouco rentáveis é, à partida, o maior risco. E pode colocar em causa o financiamento do País. RETOMA ECONÓMICA

O investimento em grandes projectos públicos pode ter um efeito mais demorado do que as pequenas obras públicas na retoma da economia. SOBREPOSIÇÃO DE VIAS

A aposta na extensão da rede de auto-estradas é dada como contraproducente, dado que quase um terço destas vias tem baixos níveis de tráfego.

NOVO AEROPORTO ESTÁ A AVANÇAR

O processo para a construção do novo aeroporto de Lisboa, em Alcochete, está, neste momento, na fase do estudo de impacte ambiental, que ficará concluído em Janeiro/Fevereiro de 2010. O concurso para a construção poderá ser lançado no próximo ano.

15,7 MIL MILHÕES DE EUROS

O investimento nos dez novos empreendimentos rodoviários, no TGV e terceira ponte sobre o Tejo e no novo aeroporto de Lisboa ascenderá a 15,7 mil milhões de euros.

3,8 MIL MILHÕES DE EUROS

Só os dez projectos rodoviários lançados pelo actual Governo implicam um investimento na ordem dos 3,8 milhões de euros. Incluem cerca de 2360 km de estradas, sendo que metade dizem respeito a novas vias

 

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentID=977F82F2-4B7B-4D0C-B692-465B3D809E3F&channelID=00000009-0000-0000-0000-000000000009

 

A cumplicidade dos acidentes...

http://www.welt.de/finanzen/article1876932/Autobahn_Raser_haben_bei_Unfaellen_Mitschuld.html

 

 

As auto-estradas sem berma e o limite mínimo de velocidade.

 

A semana passada tive o azar de furar um pneu com um parafuso à entrada de uma auto-estrada.

Ao inicio pensei ser uma pedra presa num pneu, mas o barulho manteve-se e notei que o comportamento do carro estava alterado.

 

Ora, como a auto-estrada não tinha berma naquela zona coloquei os 4 piscas e segui marcha entre os 50 e os 60km/h, sendo o limite mínimo de velocidade em AE de 50km/h.

Se os xunnings vão acelerar para a ponte pela adrenalina, que experimentem circular em auto-estrada a chover e de noite a 50km/h com os 4 piscas ligados!

Andar a 250 é para meninos, andar a 50 é de homem!

 

Durante o pequeno percurso até ter um local com berma para encostar em segurança apanhei de tudo, desde um camionista a fazer sinais de luzes e a ultrapassar-me enquanto buzinava, aos condutores mais sensatos que percebiam que tinha um problema (4 piscas, marcha lenta…) guardavam distancia e quando possível ultrapassavam.

 

Sempre defendi que o limite mínimo de velocidade nas auto-estradas devia ser superior, e naquele momento pude comprovar bem a diferença de velocidade entre um carro lento e um carro que circula a uma velocidade normal.

Após encostar lá verifiquei que existia um parafuso espetado no pneu, verifiquei a pressão e como estava perto de casa (2km) lá segui viagem a um ritmo moderado para depois trocar os pneus.

 

Como já tinha planeado trocar os 4 pneus do Coupé, uma vez que estavam a chegar aos 3mm de piso, adiantei-me e coloquei logo outros Michelin Primacy HP. O jogo anterior fez-me 77.000km e são pneus com um pisar confortável e um ruído de rolamento baixo.

 

http://www.gostomaisdecarrosdoquechocolates.com/as-auto-estradas-sem-berma-e-o-limite-minimo-de-velocidade/

 

 

 

"Nenhuma regra é tão geral que não admita alguma exceção".

Robert Burton

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 10:46
link do post | sujerir | favorito
Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

Construção de estradas, auto-estradas e pontes...

O “escândalo do alcatrão”

 

 A Eurovia, uma subsidiária do Grupo Vinci, líder mundial da construção de estradas, auto-estradas e pontes, cometeu um erro "imperdoável" ao não proteger os trabalhadores.

 

Trabalhou 20 anos sem protecção e a justiça de França responsabilizou a empresa que não o protegeu.

Um tribunal de Bourg-en-Bresse condenou a empresa Eurovia, uma subsidiária da Vinci, por "negligência grosseira" no caso do trabalhador Francisco Serrano de Andrade que morreu vítima de cancro da pele, depois de trabalhar de 1986 a 2006 em contacto com o alcatrão e o betume.

 

O Tribunal dos Assuntos de Segurança Social (TASS) concluiu que existiu uma "negligência grosseira por parte da Eurovia.

A decisão da TASS foi saudada com grande entusiasmo tanto por viúva e filho de José Francisco Serrano Andrade, que morreu aos 56 anos de cancro da pele.

 

"Pela primeira vez um tribunal na França reconhece que existe uma ligação entre a doença da morte horrível do Sr. Andrade, e fumos tóxicos e cancerígenos no alcatrão a ser estendido a 150 graus nas estradas.

"É uma vitória completa, que vai criar um precedente, um tribunal ter a coragem de dizer que não protegeu os seus empregados, o empregador violou uma norma de segurança e comete um acto doloso que permite à família obter uma indemnização adicional pela sua perda ".

 

http://www.larepubliquedespyrenees.fr/2010/05/11/cancer-d-un-ouvrier-du-bitume-l-employeur-juge-coupable,135782.php

 

 

Esta é a primeira vez em França.

 

O TASS de Bourg-en-Bresse condenou a Eurovia, empresa (propriedade da Vinci), que acusado de "negligência" pela morte de um trabalhador de betume, que morreu em 2008, de cancro da pele.

O TASS – encontrou uma ligação directa na inalação dos fumos tóxicos e cancerígenos que liberta a combinação de projecções do betume com UV e que causou a morte do Sr. Andrade.

 

A Eurovia, também opera no mercado português.

Sr. Franck Dremeaux, o advogado da empresa Eurovia, disse aos repórteres que iria recorrer da decisão.

José Francisco Serrano Andrade de 56 após morreu a 3 de Julho de 2008.

A família acredita que a sua morte se deveu ao seu trabalho.

 

O advogado Jean-Jacques Rinck disse que "pela primeira vez em França, um tribunal invoca uma ligação entre uma doença provocada por agentes cancerígenos de fumos tóxicos.

Disse ainda que o asfalto é um assassino "escondido", porque a doença é progressiva durante dez anos.

"Para ele, esta decisão vai permitir que" estes trabalhadores saiam para fora do anonimato e exigir que o equipamento de protecção pessoal seja utilizado.

 

http://www.20minutes.fr/article/403527/France-Proces-du-bitume-Eurovia-reconnue-coupable-de-faute-inexcusable.php

 

 

"O mundo é perigoso não por causa daqueles que fazem o mal,
mas por causa daqueles que vêem e deixam o mal ser feito."

Albert Einstein

 

 

 

 

 

 

http://economico.sapo.pt/noticias/brisa-entre-as-eleitas-do-ubs_89419.html

http://economico.sapo.pt/noticias/lucro-da-mota-tera-disparado-79-no-trimestre_89441.html

 

publicado por cambiantevelador às 11:50
link do post | sujerir | favorito
Terça-feira, 11 de Maio de 2010

Insegurança nas Estradas...

“A minha netinha voou e morreu ao lado dos pais”

  

 Jéssica Soares, sete anos, seguia com os pais numa lambreta quando um carro bateu na moto.

Teve morte imediata.

 

O acidente aconteceu por volta das 21h30, quando a menina seguia no meio dos pais numa lambreta, o único meio de transporte que a família possuía…

O acidente terá acontecido devido a um momento de distracção de José, pai da criança.

'O sinal passou para verde, o carro arrancou, mas o pai estava distraído e não reparou.

Queria virar e bateu de lado.

 

A menina estava no meio, foi projectada e caiu de barriga para baixo.

O casal não costumava andar com a menina na motorizada, mas como o percurso para casa dos avós era curto, os pais facilitaram.

Acharam que não haveria qualquer problema.

'Eles nunca andavam os três, sabiam que era muito perigoso.

Mas da casa deles, em São João da Madeira, até à festa era pouco mais de cinco minutos.

 

Eles facilitaram, levavam capacetes, mas nem isso valeu à menina', explicou Fátima, visivelmente emocionada.

 

TREINADOR DE FUTEBOL MORRE AO REGRESSAR DE ANIVERSÁRIO

  

 Ricardo Teixeira, treinador do Futebol Clube de fontelas, faleceu ontem de madrugada durante um acidente de carro numa ponte em Peso da Régua.

 

O homem, de 38 anos, regressava com os amigos de uma festa de aniversário em Lamego quando o carro em que seguia se despistou, tendo o treinador sido projectado para fora do veículo.

 

OUTROS CASOS

MORRE EM AVEIRO

Amanhã, em Vagos, será o funeral de Carlos Simões, o jovem de 25 anos que morreu depois de se despistar de motorizada, durante a madrugada de anteontem, na praia da Barra, em Aveiro.

O jovem teve morte imediata.

 

JOVEM EM ESTADO GRAVE

Um jovem condutor de 19 anos está internado no Hospital de S. João, no Porto, desde anteontem à noite, quando foi vítima de uma colisão frontal na EN15, em Guilhufe, Penafiel.

Sérgio Pinto, natural de Penafiel, sofreu graves traumatismos.

 

DESPISTES NO ALENTEJO

Um ferido em estado grave foi o resultado de um despiste, ontem, pelas 14h50, na A6, no sentido Estremoz-Évora.

Cerca das 18h20, um motociclista também ficou ferido com gravidade na sequência de um despiste no IP8, em Serpa.

 

FERIDOS EM BRAGA

Duas pessoas sofreram ferimentos graves durante um despiste, anteontem, por volta das 20h00, na Estrada Nacional 101, em Vila Verde.

As vítimas foram transportadas para o Hospital de São Marcos, em Braga.

 

CICLISTA COLHIDO POR JIPE MORRE EM MONCHIQUE

Um ciclista que praticava BTT morreu na EN266, perto de Vale de Boi, no concelho de Monchique, após ter sido colhido, pelas 21h00 de anteontem, por uma viatura todo-o-terreno cuja condutora se pôs em fuga na altura.

A automobilista acabaria, pouco depois, por se dirigir à PSP de Portimão, onde disse que pensava ter 'batido em qualquer coisa'.

Alertado o Destacamento de Trânsito da GNR, em Albufeira, foram de imediato desencadeadas buscas na zona.

O cadáver da vítima, identificada como Valter Pais, de cerca de 30 anos de idade, casado, com um filho e residente na Caldeira do Moinho, em Portimão, foi encontrado pelas autoridades cerca das 23h00.

O corpo foi conduzido ao Gabinete de Medicina Legal de Portimão, onde vai ser autopsiado.

A automobilista foi identificada e o processo segue para inquérito.

 

TRAVAGEM DE 60 METROS ANTECEDE DESPISTE FATAL

Um casal de 26 e 31 anos, residente em Lisboa, morreu ontem de madrugada, na auto-estrada do Norte (A1), quando a viatura em que seguiam se despistou e capotou, imobilizando-se numa barreira, já fora da via de circulação.

O despiste ocorreu ao quilómetro 58,600, no sentido norte-sul, no concelho de Santarém, mas próximo da saída para o Cartaxo…

As vítimas foram encontradas já cadáveres e encarceradas nos destroços da viatura, um Toyota Yaris.

 

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181&contentid=8A94CA85-622E-4EC3-A46E-587ABEBD61EF&h=7

 

Miguel "Foi algo que não pude evitar"

O jogador português do Valência disse que “não foi possível evitar” o atropelamento, esta manhã, de duas mulheres.

“Podia acontecer a qualquer um”, disse.

Uma carrinha que se encontrava à frente do carro de Miguel terá travado de repente e o jogador português para evitar o choque desviou-se e acabou por atropelar duas mulheres que por ali passavam.

 

http://desporto.sapo.pt/futebol/internacional/liga_espanhola/artigo/2010/05/04/_foi_algo_que_n_o_pude_evitar_.html

 

A4 reabriu após despiste que fez um morto

O despiste de um veículo ligeiro na A4, sentido Porto-Amarante, ao quilómetro 23, perto de Paredes, provocou a morte de um jovem e ferimentos nos seus quatro colegas, dois deles em estado muito grave.

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=1560338

 

Porto de Mós: Jovem da Mendiga morre em despiste

Um jovem de 30 anos, residente na Mendiga teve ontem morte imediata após se ter despistado com o veículo que conduzia.

O acidente ocorreu, cerca das 20h40m, numa recta próximo do cemitério de Serro Ventoso.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Porto de Mós, com nove homens e três viaturas, uma viatura da VMER e a GNR.

 

http://www.cincup.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=10441&Itemid=103

 

Um em cada três condutores mortos nas estradas conduzia sob efeito de álcool

 

 Um em cada três condutores mortos nas estradas portugueses conduz sob o efeito de álcool, revelou hoje o presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

 

"Um em cada três condutores que morrem vítimas de acidentes de viação têm excesso de álcool e um em cada quatro condutores autopsiados têm mais de 1,2 gramas de álcool por litro de sangue", disse à Lusa Paulo Marques.

O presidente da ANSR falava à margem de uma reunião de 40 especialistas onde estão a ser discutidas estratégias para redução do consumo do álcool na condução, numa organização do Conselho Europeu de Segurança Rodoviária (ETSC) e da ANRS.

 

A condução sob efeito do álcool é um dos fatores de risco que mais contribui para a sinistralidade em Portugal.

 

"Não devemos falar em acidentes, mas sim em desastres provocados por condutores irresponsáveis", considerou Paulo Marques.

Segundo o responsável pela ANSR, o objetivo estratégico de Portugal é "reduzir significativamente o número de condutores mortos até 2015".

 

"Portugal tem vindo a fazer um percurso muito positivo.

No início da década éramos o pior país da União Europeia e conseguimos reduzir para metade o número de mortos encontrando-nos perto da média europeia", lembrou Paulo Marques.

Contudo, e apesar da evolução, Portugal ainda pertence ao grupo de países com maior consumo de álcool per capita na UE e as doenças relacionadas com o álcool são responsáveis por cinco por cento das mortes.

 

O número de mortes nas estradas portuguesas reduziu mais de metade, mas a estatística revela uma tendência de estagnação no que se refere às vítimas mortais relacionadas com o consumo de álcool.

Em termos gerais, muito embora Portugal apresente um dos melhores desempenhos em termos de condução não alcoólica comparativamente com outros estados da UE, a tendência é preocupante.

As entidades fiscalizadoras submetem, por ano, mais de meio milhão de condutores aos testes de rastreio do álcool e a estatística mostra que de 2005 a 2009 o número de infratores aumentou 20%.

 

No que se refere à imposição de limites de álcool diferenciados para determinados condutores, Portugal faz parte dos estados-membros da UE que ainda não adotou medidas nesse sentido, pese embora estejam a ser objeto de estudo, no âmbito da revisão do Código da Estrada, prevista na Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária (ENSR).

Cerca de 40 especialistas estão hoje reunidos em Lisboa, para discutir estratégias para redução do consumo do álcool na condução, numa organização do Conselho Europeu de Segurança Rodoviária (ETSC) e da ANRS.

Na abertura da reunião o Ministro da Administração Interna salientou os progressos feitos por Portugal nos últimos anos, nomeadamente a redução de mortos e feridos nas estradas e apelou para que o "fenómeno do consumo de álcool nas estradas seja encarado de frente de forma coletiva".

 

"Para minimizar os efeitos do consumo do álcool na estrada devem ser feitas mais campanhas de sensibilização, uma fiscalização mais apertada, uma legislação equilibrada", sustentou.

 

http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Um+em+cada+tres+condutores+mortos+nas+estradas+portuguesas+conduzia+sob+efeito+de+alcool.htm

 

 

Artigo 156.º
Exames em caso de acidente

 


1 - Os condutores e os peões que intervenham em acidente de trânsito devem, sempre que o seu estado de saúde o permitir, ser submetidos a exame de pesquisa de álcool no ar expirado, nos termos do artigo 153.º

2 - Quando não tiver sido possível a realização do exame referido no número anterior, o médico do estabelecimento oficial de saúde a que os intervenientes no acidente sejam conduzidos deve proceder à colheita da amostra de sangue para posterior exame de diagnóstico do estado de influenciado pelo álcool.

3 - Se o exame de pesquisa de álcool no sangue não puder ser feito, deve proceder-se a exame médico para diagnosticar o estado de influenciado pelo álcool.

4 - Os condutores e peões mortos devem também ser submetidos ao exame previsto no n.º 2.

 

 

Quem pode ver insensivelmente o alheio infortúnio, ignora que há dores.

Camilo Castelo Branco

 

 

 

 

 

publicado por cambiantevelador às 12:14
link do post | sujerir | favorito

.Mais sobre mim em breve

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. 406 Mortos nas estradas.....

. Auto-estradas sem Brigada...

. Condução Segura e Ecológi...

. Catástrofe Rodoviária…

. Portagens - CCUT 2014...

. Mais Vítimas na Estrada…

. Fim-de-semana negro...

. Travar a Sinistralidade.....

. Dê Férias à Velocidade…

. Crise Rodoviária em Portu...

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.favorito

. Contrato Promessa

. MOBILIDADE GEOGRÁFICA LAB...

. Cidadania activa: o jorna...

blogs SAPO

.subscrever feeds