Terça-feira, 14 de Abril de 2009

Operação Páscoa da GNR...

 Operação Páscoa da GNR...com útil greve ás multas...

 

 
Páscoa: três mortos e 19 feridos graves na estrada
13-04-2009 - 07:48h
 
Houve mais acidentes, mas menos vítimas mortais do que em 2008
 
A GNR registou nos quatro dias da Operação Páscoa três mortos em acidentes de trânsito em Portugal continental, menos quatro do que em igual período do ano passado, mas mais 117 acidentes do que em 2008.
 
De acordo com os dados da Guarda Nacional Republicana (GNR), ocorreram este ano 999 acidentes, dos quais resultaram três mortos, 19 feridos graves (menos 10 do que em 2008) e 283 feridos ligeiros (mais 43).
 
A operação Páscoa decorreu entre as 00:00 de quinta-feira e as 24:00 de domingo.
Para esta operação, a GNR mobilizou 2.062 militares, 936 patrulhas e 871 viaturas.
 
http://diario.iol.pt/sociedade-nacional/pascoa-acidentes-mortos-feridos-tvi24-ultimas-noticias/1056449-4555.html
 
 
14 Abril 2009 – 00h30
Operação Páscoa: Balanço de quatro dias de fiscalização na estrada
GNR passa menos 400 multas por velocidade
Os militares da GNR levantaram menos 400 multas por excesso de velocidade durante os quatro dias da Operação Páscoa, face a igual período do ano passado – facto que, segundo fontes da extinta Brigada de Trânsito, está relacionado com a greve às multas dos patrulheiros. Os dados totais da campanha apresentam aumento de 443 contra-ordenações em relação a 2008, mas não revelam a realidade:incluem os autos de todo o dispositivo, enquanto, no ano passado, só 1700 elementos da ex-BT tinham passado 3537 multas.
Os patrulheiros da ex-BT asseguram que a greve às multas contínua com uma adesão significativa, só que o Comando-Geral da GNR continua a não disponibilizar informações que permitam fazer a comparação. Na directiva enviada aos comandos territoriais, os responsáveis terão mesmo determinado que os comentários sobre a nova Unidade Nacional de Trânsito e a greve às contra-ordenações eram temas a evitar. No balanço da operação, os números positivos referem-se à diminuição de vítimas mortais e de feridos graves. Este ano registaram-se três mortos (ver infografia) – menos quatro do que em 2008 – e 19 feridos graves (menos dez). A quantidade de acidentes aumentou de 882 para 999 e o número de feridos ligeiros também. O ano passado foram contabilizados 240 feridos ligeiros, menos 43 do que este ano.
 
Durante a Operação Páscoa, que decorreu entre os dias 9 e 12, foram fiscalizados pela GNR 32 525 condutores, 250 dos quais detidos por excesso de álcool, falta de carta e outras infracções. Dos 106 289 veículos controlados pelo radar, 1358 foram multados. Para o tenente João Figueiredo, da GNR, os resultados alcançados revelam o "empenhamento e abnegação de todos os militares".
 
NACIONAL 125 VAI SER REQUALIFICADA
A EN125, no Algarve, que registou 290 vítimas mortais entre 1998 e 2007, será requalificada. O concurso de adjudicação será assinado este mês. Os trabalhos (150 milhões de euros,) irão até 2010. Em 2008, o número de pontos negros identificados era cinco. Este ano, já não estava identificado nenhum, após intervenções ao nível da sinalética, semaforização e rotundas. Francisco Pedro / A.P.
 
http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=5CC2099D-F516-448F-9299-22FDF55EC970&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010
 
Mortalidade Rodoviária: A Magia dos Números  - Temos portanto três tipos de omissão nas estatísticas da mortalidade rodoviária:  1) Decorrentes da não contabilização dos mortos a trinta dias, ao contrário do que acontece no resto da Europa;  2) Não verificação de óbitos por ausência de médico no local e por não confirmação posterior;  3) Falta de confronto, ou confronto tardio, entre diferentes bases de dados.
http://www.acam.org/w/index.php5?title=Mortalidade_Rodovi%C3%A1ria:_A_Magia_dos_N%C3%BAmeros
 
Operação Páscoa com útil greve às multas, por parte dos patrulheiros da GNR.
 
- Partindo do princípio, que a contabilização das vítimas, corresponderá verdadeiramente à realidade (mesmo com as actuais omissões nessa mesma contabilização), a greve às multas dos patrulheiros da GNR, este ano, vem implicitamente demonstrar, que a caça à multa não resolve o problema da segurança rodoviária e só com agentes no terreno (“Para esta operação, a GNR mobilizou 2.062 militares…”), com patrulhamento de visibilidade, com eliminação de pontos negros (como o exemplo da nacional 125), entre outras acções de campanhas e de responsabilização de entidades ligadas à gestão das estradas, se conseguirá resultados positivos.
 
 
 "Em material social, é o rótulo impresso na garrafa que determina a qualidade e o sabor do vinho".
Eça de Queirós
 

 

publicado por cambiantevelador às 09:29
link | sujerir | favorito

.Mais sobre mim em breve

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. 406 Mortos nas estradas.....

. Auto-estradas sem Brigada...

. Condução Segura e Ecológi...

. Catástrofe Rodoviária…

. Portagens - CCUT 2014...

. Mais Vítimas na Estrada…

. Fim-de-semana negro...

. Travar a Sinistralidade.....

. Dê Férias à Velocidade…

. Crise Rodoviária em Portu...

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.favorito

. Contrato Promessa

. MOBILIDADE GEOGRÁFICA LAB...

. Cidadania activa: o jorna...

blogs SAPO

.subscrever feeds